domingo, abril 16, 2017

Vladimir Maiakovski

Ressuscita- me mesmo que mais não seja/
 porque sou poeta e ansiava o futuro/
 Ressuscita - me lutando contra as misérias do cotiano/
(...) para que não existam amores servis/
ressuscita-me para que ninguém mais tenha de sacrificar-se/
 por uma casa, um buraco/ 
ressuscita-me para que a partir de hoje/
 a familia se transforme/
 e o pai seja pelo menos o universo/
e a mãe seja no mínimo a terra! 

Vladimir Maiakovski.



Nenhum comentário :