quinta-feira, abril 13, 2017

Happy Agostina Belli!









Agostina Belli (Milão, 13 de Abril de 1947) é uma atriz italiana, nascida como Agostina Maria Magnoni, filha de Domenico Magnoni, artesão, e Margaret Adele Dossena (dona de uma pensão em Milão,  e que vai ser vítima de um crime hediondo sem solução).  A atriz trabalhou numa série de comédias, musicais, filmes eróticos, terror e thrillers. Foi dirigida por Dino Risi, Alain Robbe-Grillet e Lina Wertmuller; sem deixar de frequentar o cinema comercial e exploitation, acabando por se tornar um símbolo sexual dos anos 70.
Trabalhava como secretária, mas o seu sonho era ser atriz. Vai para Roma com a condição, posta pelo pai, de que, se não obtém sucesso em seis meses deve voltar para casa. Mas rapidamente consegue um pequeno papel no filme Banditi a Milano (1968) de Carlo Lizzani.


A partir daí entra em vários filmes como Bluebeard (1972), com Richard Burton e Giornata nera per l'ariete con Franco Nero. A sua beleza faz com que a imprensa crie uma pretensa rivalidade com Laura Antonelli.

Faz-se notar no papel da mulher de Giancarlo Giannini em Mimì Metallurgico ferito nell'onore de Lina Wertmüller, mas a popularidade vem com L'ultima neve di primavera de Raimondo Del Balzo e Sepolta viva de Aldo Lado, onde conhece o seu futuro companheiro, Fred Robsahm, cunhado de Ugo Tognazzi.

E em 1974 é Sara em Profumo di donna de Dino Risi, o papel da sua vida.

Já famosa, la Belli tem convites de todo o lado, não quer apenas papéis em filmes comerciais, mas continua a participar em filmes da comédia erótica italiana.

Dino Risi convida-a para Telefoni bianchi e com este filme ganha o David di Donatello speciale. Apesar do frio acolhimento do filme em Itália, é um enorme sucesso em França, onde Agostina já entrara em Le jeu avec le feu, ao lado de Philippe Noiret. É nesta altura que aparece nua na edição italiana da revista Playboy.

No final dos anos setenta a bela atriz aparece em co-produções internacionais, como Holocaust 2000, ao lado de Kirk Douglas, Le grand escogriffe com Yves Montand, Doppio delitto com Marcello Mastroianni e Peter Ustinov, Un taxi mauve com Fred Astaire, Charlotte Rampling e L'enfant de nuit.


Com os anos oitenta, o cinema muda e em 1996 a atriz resolve retirar-se, voltando só em 2006.

 Em 2006, após um longo silêncio, quebrado apenas por alguns telefilmes, Belli volta à cena com o filme "Uno su Due" de Eugenio Cappuccio, com Fabio Volo...




                                                      Fonte Wikipedia  e Coffin Souza


















Agostina fez o papel da esposa de Giancarlo Giannini em "Mimi, o Metalúrgico" (1972 ) de Lina Wertmuller; foi a sexy Irmã Bruhilde em "O Deputado Erótico" (1972) de Lucio Fulci...
















... e uma das belezas envolvidas com o assassino sedutor de "Bluebard" (Barba Azul, 1972) de Edward Dmytrik e Luciano Sacripanti.









Em "La Notte dei Diavoli" (1972) de Giorgio Ferroni, Gianni Garko é Nicola, um homem mentalmente perturbado que acredita que a família da bela Sdenka (Agostina Belli) é possuída por vampiros. Adaptação da história "Wurdalak", de Alexei Tolstoy, levada antes ás telas por Mario Bava em "As 3 Máscaras do Terror" (1963).

































Agostina fez o papel da brasileira Claudia na aventura "Manaos" (1979), uma co-produção México/Itália/Espanha, sobre escravos seringueiros na Amazônia, e depois deu um tempo em sua carreira.







 Nos anos oitenta ela se dedicou a algumas aparições na TV e estrelou a ficção científica de cunho social "Fratello dello Spazio" ( O Visitante, 1988) de Mario Gariazzo, com William Berger e Martin Balsam. Em 1996, ele decidiu se aposentar e sair de cena da cena.










Nenhum comentário :