segunda-feira, abril 10, 2017

Superfly

Título:   "Superfly", 25, traz contrastes dos anos 70        
Data:     10/Abr/98          
Autor:   Carlos Calado   
Folha de São Paulo

Uma das melhores trilhas sonoras dos anos 70 está de volta às lojas em edição comemorativa de 25 anos. Os fãs de "Superfly", obra-prima do soulman Curtis Mayfield, vão encontrar muito material inédito no CD duplo editado pelo selo Rhino.
Lançado originalmente em 1972, "Superfly" seguia a onda dos filmes policiais movidos por personagens negros, drogas e sexo conhecida nos EUA como "blaxploitation". O diretor era Gordon Parks Jr., que um ano antes assinara o bem-sucedido "Shaft" (com música de Isaac Hayes).
O enredo de "Superfly" girava em torno de um traficante de drogas do bairro do Harlem, em Nova York. Uma certa ambiguidade ética em relação a esse personagem, tratado quase como herói no filme, incentivou as polêmicas.
Mas o que realmente atraiu a simpatia do público para o filme foi a trilha sonora de Curtis Mayfield -cantor e compositor de Chicago, que já vinha esboçando em seus três primeiros álbuns uma alternativa ao som da poderosa gravadora Motown.
Letras recheadas de temas explosivos, como racismo, drogas e violência traçavam um contraste perturbador com os vocais agudíssimos de Mayfield, muitas vezes temperados por naipes de cordas ou "riffs" orquestrais.
"Superfly" tornou-se o maior sucesso do ex-vocalista do grupo The Impressions. Quatro semanas no topo da parada pop norte-americana renderam 2 milhões de álbuns vendidos, além de outro milhão de cassetes -números incomuns para uma trilha sonora.
A nova edição, com um CD extra, segue o padrão sofisticado das compilações da Rhino. Além das nove faixas do álbum original, o primeiro CD inclui também as versões compactas dos hits "Freddie's Dead" e "Superfly", lançadas na época como singles.
Já o segundo CD é inteiramente composto por material inédito em disco. A começar por versões instrumentais de "Eddie You Should Know Better", "No Thing On Me" e "Freddie's Dead", que até agora só podiam ser ouvidas no filme.
Mais deliciosas ainda são uma versão demo de "Little Child Runnin' Wild" (quando ela ainda se chamava "Ghetto Child") e uma versão alternativa de "Pusherman", que inclui saxofones e metais no arranjo.
Especialmente reveladora é a inclusão de dois "spots" veiculados em rádios, na época, que mostram Curtis Mayfield aproveitando o sucesso do filme e de sua trilha sonora para comandar uma campanha contra as drogas.

Até mesmo uma entrevista com Mayfield (gravada em 1995) é incluída no segundo CD. Porém, a nova edição de "Superfly" permite reapreciar com maior riqueza de detalhes a obra mais popular de um dos mestres da soul music. Ao contrário do filme de Parks Jr., hoje quase esquecido, a trilha sonora de Mayfield virou um clássico.

Nenhum comentário :