quarta-feira, agosto 16, 2017

Alternative Pin Up











optical illusion


Colégio São José Petrópolis 1970-1983


An undesirable rifle

No Morro Dona Marta, em Botafogo, no Rio de Janeiro, há uma estátua do Michael Jackson. É uma homenagem pela gravação do clipe  "They Do not Care About Us", realizado em 1996. Porém,  o famoso cantor ganhou um rifle indesejável. A polícia já identificou os criminosos.

At Morro Dona Marta, in Botafogo, Rio de Janeiro, there is a statue of Michael Jackson. It is a tribute for the recording of the clip "They Do not Care About Us", made in 1996. However, the famous singer won an undesirable rifle. The police have already identified the criminals. Poor communities in Rio de Janeiro are dominated by traffickers.

Alternativa Pin Up


Pin-Up fritz willis

pin-up pose. Photograph by Celeste Giuliano

Vault Dweller (in pin-up style) from Fallout

Elvis Presley

Elvis Aaron Presley (Tupelo, 8 de janeiro de 1935 — Memphis, 16 de agosto de 1977)







Bukowski, escritor da marginalidade

Henry Charles Bukowski Jr (nascido Heinrich Karl Bukowski; Andernach, 16 de agosto de 1920 — Los Angeles, 9 de março de 1994)

Título:original  Morre Bukowski, escritor da marginalidade
Data: 12/Mar/94
Autor: José Roberto Campos
Editoria: Mundo
Folha de São Paulo.

O escritor norte-americano Charles Bukowski morreu anteontem aos 73 anos, de câncer, na cidade de San Diego (EUA). Autor de mais de 40 livros, Bukowski ficou famoso por descrever uma vida de alcoolismo, vagabundagem e sexo em romances como "Notas de um Velho Safado", "Crônica de um Amor Louco" e "Cartas na Rua" (veja ao lado quais foram publicados no Brasil). Em 1991, escreveu o roteiro do filme "Barfly - Condenados pelo Vício", dirigido por Barbet Schroeder, em que Mickey Rourke representa o próprio escritor.
Bukowski nasceu na Alemanha, em Andernach, e foi para os EUA aos dois anos. Trabalhou como balconista e carteiro, entre outras profissões. Começou a carreira literária como poeta. Fez parte da geração "beatnik", que exaltava a vida desregrada que escritores mais velhos como Dylan Thomas, Henry Miller e William Burroughs tiveram ou tinham. Durante muitos anos, Bukowski teve uma coluna no jornal "Open City" de Los Angeles, um jornal "underground" que dava total liberdade para ele escrever. Esses textos foram reunidos em "Notas de um Velho Safado". Seu primeiro romance é "Cartas na Rua", de 1971.

Como "beat", Bukowski defendia o ato de viajar -com pouco dinheiro- como uma expressão da liberdade. De sua viagem para o sul dos EUA fez "Factotum"; de uma estadia em Nova York, fez "Nova York, 95 cents ao dia". Bukowski se dizia misógino, e as mulheres em seus livros são apenas participantes de atos sexuais. Sobre sua relação com elas escreveu "Mulheres" e um de seus livros mais conhecidos, "Crônica de um Amor Louco", que foi filmado pelo cineasta italiano Marco Ferreri, com Ornella Muti como protagonista. O livro é escrito sem maiúsculas no início dos períodos, o que Bukowski repetiu algumas vezes. Seu estilo é telegráfico, com forte influência do cinema, e propositadamente desordenado.



Em 1990 foi publicado no Brasil seu livro "Hollywood", em que satiriza a vida das estrelas de cinema. Entre os personagens, Jean-Luc Modard era uma caricatura do cineasta francês Jean-Luc Godard, e , do ator Mickey Rourke.
Cinco anos atrás, Bukowski processou um bar holandês que levava seu nome. Em entrevista na mesma época, disse: "10% do que escrevo é eterno, 25% é merda".

FRASES


O cara sóbrio que, dia após dia, escova os dentes, vai ao banheiro, dirige seu carro, esse cara só tem uma vida, entende? Mas o homem que bebe tem duas. E é durante essa segunda vida que faço meu trabalho de escritor."
"Detesto Hollywood, detesto atores, detesto cinema."
"Basicamente é por isso que escrevo: para salvar meu rabo do hospício, das ruas, de mim mesmo."
"Não entendo por que dizem que sou misógino. Odeio as mulheres tanto quanto odeio os homens. Odeio as mulheres porque odeio a raça humana."
"A cama é uma das maiores invenções do homem."
"Deus é um anzol no céu."
"Escrevo intencionalmente um monte de merda, para me exercitar. Eu diria que 75% do que escrevo é bom; 40%, 45% é excelente; 10% é imortal; e 25% é merda. A soma deu 100%?"
"Sou um velho doente. Doente e indecente.


'Barfly' retratou vida do escritor

"Detesto atores", disse Bukowski em entrevista. O ódio virou romance em "Hollywood", sátira do escritor aos bastidores da filmagem de "Barfly - Condenados pelo Vício" (1987), cujo roteiro fez. O filme, dirigido por Barbet Schroeder, trouxe Mickey Rourke -representando um "alter ego" de Bukowski- e Faye Dunaway como protagonistas. Em "Hollywood", Rourke foi caricaturizado como Jack Bledsoe. Outros personagens do livro são Wenner Zerzog e Jon-Luc Modard -os cineastas Werner Herzog e Jean-Luc Godard.
Outro filme adaptado de Bukowski foi "Crônica de um Amor Louco", dirigido por Marco Ferreri em 1982, com Ornella Muti e Ben Gazzara nos papéis principais.


 Copyright © 1994-1999 Empresa Folha da Manhã S/A

terça-feira, agosto 15, 2017

Diagramador desastrado

O casal da foto comemorou 72 anos de casados e merecia destaque no pequeno jornal da cidade. Mas o diagramador foi péssimo...

René Magritte - (21.11.1898 - 15.08.1967)

Quem me apresentou esse artista plastico foi Paul Simon em "Rene and Georgette Magritte With Their Dog After the War' no disco Hearts and Bones, de 1983. De lá pra cá, descobri que René François Ghislain Magritte (Lessines, 21 de Novembro de 1898 ― Bruxelas, 15 de Agosto de 1967) foi um dos principais artistas surrealistas belgas.


“My painting is visible images which conceal nothing…they evoke
mystery and indeed when one sees one of my pictures, one asks oneself
this simple question ‘what does that mean’? It does not mean anything,
because mystery means nothing either, it is unknowable.”
  ~ Rene Magritte

Saiba mais : Rene Magritte



Rene and Georgette Magritte With Their Dog After the War 
René Magritte (Belgian, 1898-1967), La belle promenade, 1965.
Rene Magritte ~ “The House of Glass”, 1939

Portrait of Mr Edward James - René Magritte
The Pleasure Principle (Portrait of Edward James) ~ René Magritte
Trompe l'oeil by René Magritte
Bill Brandt, René Magritte with his Picture ‘The Great War’, 1966.
Rene Magritte “The Art of Conversation”
Rene and Georgette Magritte
With their dog after the war
Returned to their hotel suite
And they unlocked the door
Easily losing their evening clothes
They danced by the light of the moon
To the Penguins, the Moonglows
The Orioles, and The Five Satins
The deep forbidden music
They'd been longing for
Rene and Georgette Magritte
With their dog after the war
Rene and Georgette Magritte
With their dog after the war
Were strolling down Christopher Street
When they stopped in a men's store
With all of the mannequins dressed in the style
That brought tears to their immigrant eyes
Just like The Penguins, the Moonglows
The Orioles, and The Five Satins
The easy stream of laughter
Flowing through the air
Rene and Georgette Magritte
With their dog apres la guerre
(Paul Simon)

domingo, agosto 13, 2017

Juana Azurduy

Em 1816, o governo de Buenos Aires outorgou o grau de tenente-coronel a Juana Azurduy, em virtude de seu esforço varonil.
Na guerra da independência, ela tinha liderado os guerrilheiros que arrancaram o morro de Potosí das mãos espanholas.
Era proibido às mulheres se meter nos masculinos assuntos da guerra, mas os oficiais machos não tiveram outro remédio a não ser admirar a viril coragem dessa mulher.
 Depois de muito galopar, quando a guerra já tinha matado seu marido e cinco de seus seis filhos, Juana também morreu.
Morreu na pobreza, pobre entre os pobres, e foi jogada na vala comum. Quase dois séculos depois, o governo argentino, presidido por uma mulher, promoveu Juana Azurduy a generala do exército, em homenagem à sua feminina valentia.

(Eduardo Galeano em "O Filho dos Dias")

Juana Azurduy - ilustração de Javier Armentano

sábado, agosto 12, 2017

Intervenção em Santa Maria do Funchal

Uma seleção de imagens do ArT of opEN doors project na Rua de Santa Maria do Funchal, Portugal.  Estas portas são de lojas abandonadas e áreas deterioradas que assumem nova vida, a fim de sensibilizar as pessoas que enchem as ruas de eventos culturais e artísticos.