domingo, maio 08, 2016

Os filmes de nossas vidas

O TERCEIRO HOMEM       

de Carol Reed

"Fiquei encantado com o filme pelo seu romantismo, pelo toque de suspense e por sua belíssima música, que consigo cantarolar até hoje."

Antoninho Rapassi é promotor de arte

         APOCALYPSE NOW 
de Francis Ford Coppola
"O que mais me encanta nele é essa poetização das situações-limites do homem. Não é um filme de recado, é um filme trágico, mórbido. O inconsciente coletivo norte-americano está todo ali. Tem uma força telúrica que extrapola todos os discursos sobre a guerra."
Sylvio Back é cineasta


:        SOCIEDADE DOS POETAS MORTOS 

de Peter Weir
"Este filme mudou minha maneira de encarar o cinema. Na verdade, chorei compulsivamente todas as vezes que o vi. Depois dele, me emociono mais facilmente com um filme."
Leoni é cantor e compositor

  O ILUSIONISTA
de Jos Stelling
"É um filme que faz um clown moderno, que trabalha com a linguagem clownsesca que eu adoro tanto no teatro como no cinema. Depois de Chaplin, é o que melhor enfoca essa linguagem no cinema."
Claudia Schapira é atriz

         E LA NAVE VA
de Federico Fellini
"Não sei se é o filme da minha vida, mas esse filme é demais. Adoro entrar no cinema e ter surpresas do começo ao fim. Isso aconteceu quando vi 'Ran', do Kurosawa, 'Asas do Desejo', do Wim Wenders, e quando vi este filme do Fellini.
Ná Ozzetti é cantora e compositora

LIMITE
de Mário Peixoto
"Os dois filmes que mais me marcaram foram 'Limite' e 'Tempos Modernos' (de Chaplin). O ideal seria misturar, fazer um milk shake dos dois. A fotografia de 'Limite', as imagens do (diretor de fotografia) Edgar Brasil me deixaram siderado por essa coisa da imagem brasileira. Foi o filme que me motivou a fazer cinema."
Mário Carneiro é pintor, diretor de fotografia e cineasta


         FEIOS, SUJOS E MALVADOS     
de Ettore Scola
"Sou fã de comédias italianas, acho que já vi quase todas. Mas esta é a melhor. O Scola constrói o perfil dos personagens com uma precisão incrível, sem clichês nem estereótipos. Não é recomendável para politicamente corretos."
Luciano Kurban é produtor musical


A CONVERSAÇÃO
de Francis Ford Coppola
"Seguramente o filme da minha vida é 'A Conversação'. Tinha uns 17 anos quando assisti pela primeira vez. Era uma viagem muito forte pela solidão com imagens e ritmo muito marcantes. Gene Hackman era um araponga que, quando ficava desesperado, tocava sax. Isso mexeu comigo."
Maurício Pereira é cantor, compositor e saxofonista

         DEUS E O DIABO NA TERRA DO SOL        

de Glauber Rocha
"O filme me tocou a fundo porque eu morava no Ceará, numa época de efervescência política, e 'Deus e o Diabo' me revelou a criação do cinema dessa região e do Brasil e o cinema como agente de mudanças. Sempre gostei também do cinema poético de Pasolini (sobretudo 'Teorema') e Bresson (principalmente 'Diário de um Pároco de Aldeia')."
José Araújo é cineasta

 CABARÉ 

de Bob Fosse
"Além de o filme ter uma belíssima história, é um musical inesquecível, e admiro muito a atriz e cantora Liza Minelli."
German Lorca é fotógrafo


         FAÇA A COISA CERTA     

de Spike Lee
"É o menos pretensioso e o melhor dos filmes de Spike Lee. Tem uma temática de tribos, de conflitos étnicos, que é o grande assunto deste nosso final do século, um tema que aparece também em "O Ódio", de Kassovitz. Gosto particularmente dos italianos do filme, Danny Aiello e John Turturro"
Beto Brant é cineast

O PODEROSO CHEFÃO     

de Francis Ford Coppola
"É o que eu mais tenho namorado recentemente. É um dos filmes mais perfeitos em matéria de roteiro, interpretação, direção de arte, fotografia, tudo. Gosto muito também, claro, dos filmes de Lubitsch e de Max Ophuls."
Arthur Fontes é cineasta

         AS AMAZONAS DA LUA   

de Joe Dante, John Landis, Carl Gottlieb, Peter Horton e Robert K. Weiss
"Quando vi, senti uma sintonia total com as coisas que eu faço. O próprio seriado das mulheres-amazonas é genial, com aquelas amazonas louras, com lanças de cabo de vassoura. Gosto também de 'Ed Wood', do Tim Burton, porque no cinema brasileiro há uma psicose de ser o melhor e o cinema brasileiro deveria fazer os piores filmes, quer dizer, os mais precários, os mais antropofágicos e demenciais."
Ivan Cardoso é cineasta


         PARIS, TEXAS  

de Wim Wenders
"É um filme que me emociona demais. Adoro a música do Ry Cooder. Sou fã do Sam Sheppard e da linguagem do roteiro, de como as relações humanas podem se deteriorar. Gosto da aridez da fotografia nos planos no deserto americano. Já vi várias vezes e veria de novo."
Toni Bellotto é guitarrista dos Titãs e escritor


LIMITE"
De Mário Peixoto
"Limite", ou o cinema-poesia levado às últimas consequências. O drama de Mário Peixoto é que "Limite" é tão brilhante que, sozinho, abre e fecha um ciclo do cinema brasileiro, não deixando seguidores, mas apenas admiradores. Já o documentário que mais me marcou foi "O Homem de Aran", de Robert Flaherty. É o simétrico de "Limite", a crença na possibilidade de o homem se superar
Walter Salles é diretor de cinema ("Terra Estrangeira")

"Acho que é a experiência estética mais radical do cinema brasileiro. Tem uma estrutura dramática aparentemente convencional que depois é deixada quase de lado, enquanto a poesia passa a ocupar o primeiro plano. O filme provoca um estado de suspensão semelhante ao provocado por 'O Ano Passado em Marienbad', de Resnais."
Joel Pizzini é cineasta


         QUATRO CASAMENTOS E UM FUNERAL 
de Mike Newell
"São muitos os filmes que fizeram e desfizeram minha cabeça. Este, particularmente, oferece boa dose de humor, no melhor estilo inglês. Para quem está cansado das idiotices de trombadas, porradas e tiros, nada melhor."
Luiz Fernando Furquim é publicitário

AMADEUS        

de Milos Forman
"É o que me veio na cabeça agora. O filme mostra a diferença entre o gênio e o talento; Mozart era um gênio, e os Salieri da vida estão por aí. Ele mostra que, se a gente não é gênio, tem mais é que batalhar muito pra chegar onde quer".
Moraes Moreira é cantor e compositor


         O PIANO  

de Jane Campion
"O despojamento da personagem, que enfrenta tudo pela arte e pelo piano, me sensibilizou muito. Vou lembrar deste filme o resto da minha vida."
Almir Chediak é produtor musical

 CHINATOWN   

de Roman Polanski
"É um filme em que o mistério brota diretamente da mais comum venalidade, do sexo, do dinheiro. É um filme em que tudo se entrelaça de um modo terrível. A última fala -'It's OK, Jake; it's Chinatown'- é maravilhosa, mas eu nunca terminaria um filme com essa espécie de profundo desespero e impenetrável cinismo. Há ainda Jack Nicholson, perfeito, e John Huston em seu melhor momento, como uma espécie de Mefisto."
Richard Ford é escritor

 TRILOGIA DAS CORES      

de Krzysztof Kieslowski
"A trilogia 'A Liberdade É Azul', 'A Igualdade É Branca' e 'A Fraternidade É Vermelha' (foto) traduz os momentos que vivemos no mundo de hoje, com muita ação e emoção. Mesmo fazendo uma sequência de filmes, o diretor conseguiu reunir conceitos sem perder o fio da meada."
Giselda Pistelli é designer


DERSU UZALA
de Akira Kurosawa
"É um filme emocionado e solidário com o ser humano, que fala da condição humana. É uma obra-prima e não chateia o público.
Ferreira Gullar é poeta

"Eu adoro o Kurosawa. Vi uma cinco vezes esse filme, acho que é o que mais assisti na vida. Outro é o 'Aguirre', do Werner Herzog."
Paulo Lepetit é músico

MACUNAÍMA   
de Joaquim Pedro de Andrade
"É um filme que abriu a minha cabeça, quando eu tinha 12 anos. Admiro a irreverência com que ele coloca a questão de o que é a vida do brasileiro. Apesar do subdesenvolvimento, o brasileiro ainda acredita que tudo vai dar certo."
Fábio Barreto é cineasta

   BLADE RUNNER - O CAÇADOR DE ANDRÓIDES        
de Ridley Scott
"A fotografia, o roteiro, os atores, a trilha sonora e a direção tornam o filme fantástico. Destaco a produção bem-cuidada, que configurou todos os detalhes do cenário."
Rudá Duprat é empresário

FANNY E ALEXANDER     
de Ingmar Bergman
"É muito poético, e a crueldade é mostrada nas sombras, não nua e crua. Mas é exatamente como se vive em uma família comum."
Chico Teixeira é cineasta

JANELA INDISCRETA       

de Alfred Hitchcock
"Gosto por causa da indiscrição. A fotografia é linda."
Adriana Calcanhoto é cantora


         ROCCO E SEUS IRMÃOS   

de Luchino Visconti
"Visconti retrata a situação humana e não só a condição humana. O que me impressiona é que cada personagem da sua câmera parece ter saído da pena do Dostoievsky."
Jorge da Cunha Lima é presidente da TV Cultura

ACOSSADO
De Jean-Luc Godard
"É um filme que modificou a linguagem do cinema. Godard é o pai da cinematografia moderna. Sem dúvida, é um fenômeno de fluidez narrativa".
Marcos Magaldi é fotógrafo


SOLARIS
de Andrei Tarkovski
"Tenho uma ligação muito passional com esse filme, por sua concepção poética e seu tratamento formal. Ele faz uma sondagem profunda das dimensões mais escuras do subconsciente humano."
Nicolau Sevcenko é historiador

ASSALTO AO TREM PAGADOR
de Roberto Farias
"Esse filme me marcou porque é o primeiro trabalho nacional que mostra um assalto em todos os seus detalhes e que a gente só via acontecer em filmes norte-americanos."
Martinho da Vila é cantor e compositor

  O BAILE   
de Ettore Scola
"É impressionante como o diretor mostra os personagens, acentuando suas características pessoais. Além disso, é um filme sutilmente político."
Cláudio Feijó é fotógrafo

  O PIANO  

de Jane Champion
"É impressionante como Holly Hunter consegue passar tantas emoções sem falar uma palavra. O filme fala com uma semsibilidade única do universo feminino, sem cair nas armadilhas dos clichês".
Renata Ceribelli é apresentadora do "Video Show", da Rede Globo

Um Corpo que Cai"
de Alfred Hitchcock
"Antes de tudo, adoro o trio Kim Novak, James Stewart e Alfred Hitchcock. E este filme tem uma trama deliciosa, onde o amor vence qualquer obstáculo, mas não é para ter um final feliz e sim para sacanear todo mundo"
Valéria Sândalo é atriz e atua em "Felicidade É...

MEPHISTO
de István Szabó
"Tenho no mínimo meia dúzia de filmes para citar, acima de tudo no cinema brasileiro, com sua bravura e resistência. Mas escolho 'Mephisto', que mexe demais comigo por causa da Segunda Guerra Mundial. Sou descendente de alemães e de judeus e a guerra teve reflexos dramáticos na minha família. Além disso, o filme em si é grande."
Eva Wilma é atriz

OS DUELISTAS
de Ridley Scott
"É um filme fantástico sobre o bem e o mal. O Keith Carradine é o bonzinho e o Harvey Keitel, o mau. Eles passam a vida toda duelando e nenhum consegue vencer o outro. O filme é maravilhoso, tem uma iluminação mortal e uma direção absurda."
Sérgio Dias é músico e ex-integrante dos Mutantes

BLOW UP
de Michelangelo Antonioni
"Uma coisa que me marcou muito foi o jogo da bola imaginária em 'Blow Up', que vi quando era garota e nem era cantora ainda. A cena tem esse pé na imaginação, é tão perfeita, me deixou fascinada. Mas não chega a ser o filme da minha vida. Na verdade, acho que não tenho nenhum."
Baby do Brasil (ex-Consuelo) é cantora

A FESTA DE BABETTE     
de Gabriel Axel
"É uma celebração, uma ode à delicadeza. A frase 'o artista nunca é pobre' faz uma bela síntese do filme. Gosto muito também de

         BODAS DE SANGUE
de Carlos Saura
"É difícil falar de um só. Aproveitando minha peça Àmor Bruxo', vou citar o 'Bodas de Sangue'. O Saura consegue dizer tudo usando apenas a dança flamenca. O filme se passa numa sala, sem falas. É bárbaro."
Guilherme Leme é ator

         CIDADÃO KANE       
de Orson Welles
"Escolho esse filme por sua inventividade, densidade, temática e criatividade, que se mantêm intactas até hoje. É uma fonte constante de inspiração para mim."
Francisco Cesar Filho é cineasta

A TESTEMUNHA      
de Peter Weir
"Eu gosto de Harrison Ford. E a história acontece em uma parte do país em que eu tenho raízes, a Pensilvânia."
Steve Solot é vice-presidente sênior para a América Latina da Motion Picture Association

         MORANGO E CHOCOLATE        
de Tomás Gutiérrez Alea e Juan Carlos Tabío
"Neste momento, em que participo de uma peça sobre homossexualismo, meu filme predileto é 'Morango e Chocolate'. O que mais bateu em mim não foi nem a história, mas a relação de atores. Eles fazem muito bem. E a história também é lindíssima."
Milhem Cortaz é ator

LOLA        
de Jacques Demy
"É uma história sobre o amor e, na época que eu assisti, a atriz Anouk Aimée me fez a cabeça. Quase 30 anos depois, revi o filme e voltei a sentir a mesma
emoção e a mesma sensação romântica".
Cristiano Mascaro é fotógrafo

A GENERAL     
de Buster Keaton
"Gosto porque é bom cinema, pelo que significou no momento em que foi criado, pela genialidade do Buster Keaton. A linguagem que ele desenvolve em seus filmes é maravilhosa."
Márcio Aurélio é diretor teatral



PERDAS E DANOS    
de Louis Malle
"Gosto do filme por causa da atriz Juliette Binoche, mulher em que me espelho fisicamente. Tenho por ela uma grande admiração e a considero uma excelente artista."
Cecilia Neve é decoradora



 REBECA  
de Alfred Hitchcock
"Assisti com meu pai, quando tinha nove anos. Jamais me esqueci de Rebeca -uma mulher que seduz e amedronta- e dos que com ela conviveram, em especial a governanta. Em 1978, o filme serviu de base para uma grande novela brasileira, À Sucessora', também inesquecível."
Mauro Alencar é especialista em novelas e é professor da Oficina de Atores da Globo

 PERDIDOS NA NOITE        
de John Schlesinger
"Os atores -Dustin Hoffman e Jon Voight- têm um trabalho genial. Além disso, o filme mostra uma relação de amizade muito emocionante. A trilha sonora é maravilhosa."
Cássio Scapin é ator

 O BAILE   
de Ettore Scola
"Este filme é completamente ousado. Ele e 'Medéia', de Pasolini, conseguem dizer tudo através da mudez."
Edson Cordeiro é cantor

 CIDADÃO KANE       
de Orson Welles
"É um clássico. Orson Welles é bom ator e bom diretor. Muitos diretores se ligaram neste filme. É um marco, um filme para cineasta. Também gosto de grandes produções, tipo 'Lawrence da Arábia'.
Tim Maia é cantor e compositor

NÓS QUE NOS AMÁVAMOS TANTO 
de Ettore Scola
"Gosto muito do cinema italiano, especialmente do cinema do Scola. Acho que o filme que mais sintetiza a obra dele é 'Nós que nos Amávamos Tanto'. Vi duas vezes e vivo procurando em videolocadoras, mas não tem em lugar nenhum."
Washington Olivetto é publicitário

A ROSA PÚRPURA DO CAIRO   
De Woody Allen
É o filme com o qual mais me identifico. É o que me transmite melhor o ideal de felicidade, que é como vejo o cinema. E isso Woody Allen fez com perfeição.
Silvio de Abreu é autor de telenovelas

 ERA UMA VEZ NA AMÉRICA    
de Sérgio Leone
"Tem magia, emoção, fala dos migrantes e da sua 'conquista da América'. Além disso tem aventura, sonho. Gosto muito da música de Enio Morricone."
João Bosco é cantor e compositor
        
O QUE TERÁ ACONTECIDO A BABY JANE?
Robert Aldrich
"Gosto deste filme porque mostra o encontro de atores muito bons. Isto acabou transformando um filme B em um grande sucesso."
Maurício Branco é ator

         O MORRO DOS VENTOS UIVANTES 
William Wyler
'Àcho uma beleza. Foi um filme que me marcou muito na minha juventude e um dos poucos que me fez chorar muito."
Diogo Pacheco é maestro

         NÃO AMARÁS 
de Krzystof Kieslowski
"É como se fosse a minha história. Há uma identificação plena, total e absoluta. Acho que ele (o Kieslowski) dá uma solução, um caminho para os problemas do mundo dos relacionamentos. Ele mostra que o encontro é possível. Esse é o grande processo do homem."

         A FELICIDADE NÃO SE COMPRA      
De Frank Capra
"Capra deixou um manifesto humanista incomparável, embora minha relação com o filme seja de amor e ódio. Durante muito tempo, não suportava seus clichês. Se fosse pelo aspecto puramente cinematográfico, votaria em 'Pacto Sinistro', de Hitchcock. Mas, pelo aspecto sentimental, fico com Capra".
Whit Stillman é diretor de "Barcelona

INTOLERÂNCIA        
de David W. Griffith
"É o grande capítulo de inauguração das novas conquistas de linguagem cinematográfica. Tinha oito horas de duração e foi exibido mutilado, assim como meu outro preferido, 'Ouro e Maldição', do Eric Von Stroheim, que foi assistente do Griffith. Quanto a este, talvez seja o mais bem dirigido, da grande fase do cinema ainda mudo."
Rogério Sganzerla é cineasta



Nenhum comentário :