domingo, fevereiro 28, 2010

Video sensação

Doze chefes de Estado desaparecem durante um passeio de barco promovido pelo presidente Lula ao final da 74ª Cúpula Ibero-Americana. Além dele, estavam a bordo Evo Morales, Álvaro Uribe, Cristina Kirchner e Hugo Chávez, entre outros. Esse é o mote da "Ilha Presidencial", série de humor animada iniciada nesta semana pelo site de humor venezuelano "El Chiguire Bipolar" (a capivara bipolar). Parodiando o estilo de "Survivor" ("No Limite"), coloca toda essa turma numa praia deserta "sem comida, sem refúgio e sem poder". No primeiro episódio da série (veja abaixo), Lula, o anfitrião, aparece preparando e tomando caipirinhas e fascinado pelos atributos físicos da colega argentina. Já Chávez vive uma tórrida relação amorosa com Morales ao mesmo tempo em que briga com o desafeto Uribe, enquanto o rei espanhol, Juan Carlos, dá vários sinais de senilidade. (Fonte- Folha)

quinta-feira, fevereiro 25, 2010

Muito engraçado...

Olha a cara de assustado do Joel.

Tarantino é um bastardo



Por Elton Telles Continuando com a série especial do Oscar 2010, o Cinema Falado comentará nesta sexta-feira (26/02) um dos filmes que mais somou indicações na premiação deste ano. “Bastardos Inglórios”(2009), do cultuado Quentin Tarantino, recebeu 8 menções, incluindo as categorias Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Original e Melhor Ator Coadjuvante. O programa é apresentado pelos cinéfilos Thiago Ramari, Marcelo Bulgarelli e Elton Telles, e vai ao ar, toda sexta-feira, às 21h, com horários alternativos no domingo, às 18h; na segunda-feira, às 2h; quarta-feira, às 3h e na sexta-feira, às 5h.(Confira nos links abaixo)

Apresentando uma estrutura dividida em capítulos, assim como a saga “Kill Bill” - filme anterior de Tarantino -, “Bastardos Inglórios” é ambientado na França durante a década de 1940, período em que o país estava ocupado por militares nazistas. Somos, logo no início, apresentados ao temível Coronel Hans Landa (Waltz), membro da SS conhecido como “caçador de judeus” e à Shossana (Laurent), uma jovem judia que teve sua família assassinada pelos soldados alemães. Em contrapartida, também passamos a conhecer um grupo de soldados norte-americanos que se autointitulam como “Os Bastardos”, liderado pelo Tenente Aldo Raine (Pitt). A missão dessa equipe é clara: matar nazistas. Quando um filme alemão, feito sob encomenda pelo regime implantando por Hitler, está prestes a ser exibido em um pequeno cinema francês, os Bastardos e Shossana arquitetam planos individuais para matar os responsáveis pelo Nazismo, dentre eles, o próprio Führer, que estará presente na sessão.

O diretor Quentin Tarantino, aos 46 anos, possui apenas 7 filmes em sua filmografia, o suficiente para deixar sua marca registrada e se consagrar como um dos diretores americanos mais autorais da atualidade. O estardalhaço de “Pulp Fiction”, em 1994, rendeu ao diretor reconhecimento mundial, uma Palma de Ouro no Festival de Cannes e o Oscar de Melhor Roteiro Original. A celebração da violência em detrimento de uma boa história enriquecida por ótimos diálogos colocou esse diretor cinéfilo no mapa – isso desde seu pequeno filme de estreia, “Cães de Aluguel”, de 1992. Desde então, Tarantino se dedica com afinco a cada novo filme que produz – o roteiro de “Kill Bill” e “Bastardos Inglórios”, por exemplo, levaram quase uma década para serem escritos.

Com clara influência do western spaghetti e do cinema oriental dos anos 70 e 80, Tarantino enriquece suas obras com referências a tantos outros filmes clássicos e, às vezes, relegados ao esquecimento. A trilha sonora de “Bastardos Inglórios” contém desde composições dos geniais Ennio Morricone e Elmer Bernstein até canções mais pops, como David Bowie. Apoiado por um elenco eficiente e pela técnica afiada, o mais novo filme de Quentin Tarantino respira e transpira Cinema. Se houver justiça na Academia, “Bastardos Inglórios” merece levar a estatueta de Melhor Filme. E se for preciso arrancar os escalpos dos demais concorrentes, tem total apoio dos três apresentadores do Cinema Falado. Yes, sir!


TÍTULO: BASTARDOS INGLÓRIOS
TÍTULO ORIGINAL: INGLOURIOUS BASTERDS
ANO: 2009
PAÍS DE ORIGEM: EUA
DIREÇÃO E ROTEIRO: QUENTIN TARANTINO
ELENCO: BRAD PITT, CHRISTOPH WALTZ, MÉLANIE LAURENT, MICHAEL FASSBENDER, ELI ROTH E DIANE KRUGER


TRAILER


RÁDIO UNIVERSITÁRIA CESUMAR - 94,3
O programa pode ainda ser ouvido, no horário da tranmissão, através do sitehttp://www.radiocesumar.com.br/

Para participar do programa:
e-mail: cinemafalado@gmail.com / atendimento@radiocesumar.com.br

Comunidade no Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=14478758

Botafogo e minhas razões...


Há coisas que só acontecem ao Botafogo."
-Ditado popular

"O Botafogo tem a vocação do erro"
-Augusto Frederico Schmidt, ex-presidente do clube, em conversa com Santhiago Dantas.

"Sabe duma coisa? Eu não gosto de futebol, gosto é do Botafogo." - Lúcio Rangel, jornalista.

"Botafogo é bem mais que um clube. É uma predestinação celestial."
-Armando Nogueira, jornalista.

"No Rio, a formação da identidade passa, também, pela eleição de um time de futebol. O poeta, fiel à sua infância, escolhe o 'Botafogo Futebol Clube'. Não freqüenta os estádios. Não lê o noticiário. Não ouve as transmissões pelo rádio. Mas, se perguntarem seu time, afirma: 'Botafogo'. Não se trata de uma paixão, mas de uma senha para a cidadania."
-Vinícius de Moraes, músico brasileiro.

"Botafogo é um menino de rua perdido na poética dramaticidade do futebol"
-Paulo Mendes Campos, escritor brasileiro.

"Se o Botafogo fosse uma esposa minha com certeza receberia muitas flores."
-Zé Roberto, ex-jogador do clube orgulhoso por atuar no time.

"Não me separo nunca de minhas fotos com a camisa do Botafogo."
-Cetale, ex-zagueiro, em entrevista em 2008, quase 50 anos após deixar o clube.

"Às vezes torcemos para o Botafogo apesar do Botafogo."
-Luiz Fernando Veríssimo, escritor brasileiro

"Nós amamos o Botafogo, mas ele, inexplicavelmente, nos odeia."
-Alexandre Kirilos

"Ser Botafogo é escolher um destino e dedicar-se a ele. Não se pode ser Botafogo como se é outro clube: você tem que ser de corpo e alma."
-Mário Filho, jornalista brasileiro.

"O Sr. sabe lá o que é um choro de Pixinguinha? O Sr. sabe lá o que é ter uma jabuticabeira no quintal? O Sr. sabe lá o que é torcer pelo Botafogo?"
-Vinícius de Moraes, músico brasileiro.

"O Botafogo tem tudo a ver comigo: por fora, é claro-escuro, por dentro, é resplendor; o Botafogo é supersticioso, eu também sou. O Botafogo é bem mais que um clube - é uma predestinação celestial. Seu símbolo é uma entidade divina. Feliz da criatura que tem por guia e emblema uma estrela. Por isso é que o Botafogo está sempre no caminho certo. O caminho da luz. Feliz do clube que tem por escudo uma invenção de Deus."
-Armando Nogueira, jornalista.

"Assim é o botafoguense. Ele não sofre, se purifica. Os invejosos desafiam, dizem que os alvinegros são poucos. Equívoco; são relíquias. E preciosidade não se encontra às pencas no boteco da esquina."
-Autoria desconhecida.

"E ninguém cala esse nosso amor, e é por isso que eu canto assim: É por ti Fogo!"
-Cântico da torcida do Botafogo.'

Mafalda - criação imortal de Quino



terça-feira, fevereiro 23, 2010

Estrela, Quinter, Maputo, Içara...



Constança (em romeno Constanţa) é um município da Romênia na região da Dobruja. Originalmente chamada Tomis e depois Constantia, Constança foi uma cidade do Império Romano, fundada por Constantino, o Grande. É o maior porto do país (Mar Negro) e capital do judeţ (distrito) de Constança. A população de Constança é de 311 mil habitantes
Quinter é uma cidade localizada no estado americano de Kansas, no Condado de Gove. Tinha pouco mais de 900 habitantes em 2000. Agora, a população caiu para 800.
Maputo, antiga Lourenço Marques, é a capital e a maior cidade de Moçambique. É também o principal centro financeiro, corporativo e mercantil do país. Localiza-se no sul do país, na margem ocidental da Baía de Maputo. População superior a um milhão e 100 mil habitantes.

Içara é um município do estado de Santa Catarina. População estimada em 57 mil habitantes. Tem a segunda maior praia do estado em população no verão, Balneário Rincão. Perderia apenas para Balneário Camboriú.

Como fazer uma reportagem para TV


O vídeo polemico de Rafinha Bastos que apresenta um pequeno manual de como se fazer uma reportagem padrão. Originalmente diz que é baseado na obra do jornalista britânico Charlie Brooker "How To Report The News". Alguns dizem que é plágio mesmo. A produção é do www.jacarebanguela.com.br e www.chongas.com.br

Maringá para o mundo


Maringá City

segunda-feira, fevereiro 22, 2010

Ricardo Avatar

Coisas que só acontecem com o Botafogo

A princesa Xuxa e os Trapalhões é um filme brasileiro de 1989, dirigido por José Alvarenga Jr. e estrelado pelos Trapalhões.
A referência ao Botafogo de Futebol e Regatas, em que um adesivo encontrado na nave com informações sobre o planeta Terra tem o escudo do B.F.R e os dizeres "Campeão 2010", está relacionada ao jejum de títulos oficiais de 21 anos do clube. O Botafogo havia conquistado seu último título oficial em 1969, mas que era do ano de 1968, da Taça Brasil. Somente em 21 de junho de 1989 voltou a conquistar um título oficial, o Campeonato Carioca. Como o filme foi lançado em 1989, a piada seria de que o Botafogo só alcançaria outro título novamente em 2010, ou seja, depois de outro jejum de 21 anos.
Depois de 1989 o Botafogo foi campeão nos anos de 1990, 1993, 1995, 1996, 1997, 1998 e 2006.
Alguns torcedores já consideram a cena como uma espécie de profecia, mudando o sentido original da piada.(texto original do post no Youtube)
E agora, é campeão em 2010!! Coisas que só acontecem com o Botafogo..

sexta-feira, fevereiro 19, 2010

Ela voltou!!

Cheguei agora a pouco para almoçar e Ana me aparece com um presente. Era uma caixa da loja Riachuelo. Um presente! Um calça nova, com certeza!
Ao abrir, uma surpresa maior ainda! Era a calça voadora recuperada! A mesma que durante 28 dias enfrentou chuva, sol e sujeira de passarinho !! E ela está praticamente inteira! Viva o jeans, esse tecido revolucionário! Vou leva-la para minhas férias...
A primeira pergunta foi: como isso ocorreu?
Ana fica quieta.
- Não vou falar quem foi. Se eu falo,   você vai queimar o filme do cara no blog!
Fizemos um trato. Não temos fotos do resgate nem do herói. Ele preferiu o anonimato diante da grandeza do fato. E posso agora fazer meu discurso:  Já não acredito mais em ladrões de calças, mas em heróis que colocam a vida em risco para trazer a alegria aos que não tem o que vestir!
Tenho também que dar crédito para a Dona Helena, a síndica do prédio que fez coro ao pedir ajudar ao nosso herói. O que pude apurar é que ele é  funcionário de uma empresa que por ventura executava algum tipo de serviço  na rua Ivaí, local onde ocorreu o estranho fato da calça voadora.  Ele é jovem, tem cerca de 30 anos. Hoje, com certeza, ele vai poder reunir a família e contar como foi a grande aventura. E ao concluir, poderá dizer: "Por isso, meu filho,  nunca saia sem suas calças! E você, muié, cuida bem do meu uniforme!"

A Patota

Dessa novela pouca gente vai lembrar. "A Patota" foi escrita por Maria Clara Machado em 1972 para a TV Globo. Sim, ela mesma, grande nome da dramaturgia infantil e fundadora do 'Tablado'. A novela infanto-juvenil foi um grande sucesso. No elenco, o então jovem Marco Nanini (futuro Seu Lineu da Grande Família) e outras promessas infantis como Rosana Garcia. A trilha é bacana. Boa parte com uma competente banda de estúdio e sucessos da Motown. Boa parte da novela se perdeu no incêndio da Globo em 1976

.

Acima, a abertura da "novela jovem" , Destaque para o filho de Grande Otelo e para a então menina Rosana Garcia (a Narizinho do "Sítio do Pica Pau Amarelo). Marcou época.


Débora Duarte – Neli
Mário Gomes – Jorge
Marcos Nanini – Professor Simões
Reynaldo Gonzaga – Milton
Lúcia Alves – Regina
Rosana Garcia – Juliana
Fábio Mássimo – Vicente
Córis Junior – Pedro
Jorge Alexandre – Chico Fantasia
Antônio Carlos – Manuel Vira Latas
Renata Fronzi – Carmem
Paulo Padilha – Dr. Cardoso
Pedro Paulo Rangel -
A história girava em torno do sonho de uma patotinha, formada por Juliana (Rosana Garcia), Vicente (Fábio Máximo), Pedro (Córis Jr.), Tião (José Prata), que era um grupo de crianças moradoras de uma vila - construída nos arredores da Globo, no Jardim Botânico -, que misturava pobres e ricos e sonhavam em fazer uma viagem à África. Para ajudar à criançada tinha uma professorinha muito simpática Neli (Débora Duarte) e seu namorado Jorge (Mário Gomes)




Por PAULO SENNA
Poucos sabem ou lembram, mas a primeira dama do teatro infantil, Maria Clara Machado, também escreveu uma novela. Era uma história sobre jovens e o título não poderia ter sido mais bem escolhido: “A Patota”, que foi exibida pela TV Globo em 1972, às 18h. A história girava em torno do sonho de uma patotinha, formada por Juliana (Rosana Garcia), Vicente (Fábio Máximo), Pedro (Córis Jr.), Tião (José Prata), que era um grupo de crianças moradoras de uma vila - construída nos arredores da Globo, no Jardim Botânico -, que misturava pobres e ricos e sonhavam em fazer uma viagem à África.
 Para ajudar à criançada tinha uma professorinha muito simpática Neli (Débora Duarte) e seu namorado Jorge (Mário Gomes). No elenco estava também Marco Nanini (Prof. Simões), Renata Fronzi (Carmen), Paulo Padilha, Lúcia Alves (Sílvia), Flora Geny (Dona Aurélia), Macedo Neto, Lia Farrel, Zeni Pereira (Basília), Suzy Kirbi (Anésia), Lupe Gigliotti, Oswaldo de Andrade, Arthur Costa Filho, Antonio Carlos, Celso Murce e Martim Francisco.
 Eu tive o privilégio de ter sido aluno de Clara, no Tablado. Portanto, fui testemunha de sua garra e paixão pelo palco do Teatro Tablado. Inclusive, na minha humilde opinião, aquele palco deveria se chamar Teatro Tablado de Maria Clara Machado. Mas a doce e inesquecível atriz, diretor, produtora e escritora de peças infantil Maria Clara Machado não se enquadrou ao ritmo industrial de uma televisão, como declarou em uma entrevista concedida na época. O que as crianças e a turma do Tablado agradecem.
 - Além das peças, escrevi a novela “A Patota”. Com ela eu quase morri. Um capítulo por dia é muita coisa. Eu sonhava com os personagens, minha vida ficou só isso, era um horror. Agora eles têm uma equipe, mas naquela época era eu sozinha. No final não dava mais para passar a limpo, eu ditava. Mas sempre fui rápida para escrever - lembrou a autora.
 Apesar de todo o sacrifício que autora encontrou em escrever sua história, a novela teve bons índices de audiência.
 FONTE : PAULO SENA Portal Globo

quinta-feira, fevereiro 18, 2010

Ufa!!!

Botafogo 2 x 1 Fla -  Que venha o Vasco!

Sagamihara, Trafaria,Chapel Hill, Abaetetuba



Sagamihara é uma cidade japonesa localizada na província de Kanagawa. Em 2003 a cidade tinha uma população estimada em 620 habitantes. Recebeu o estatuto de cidade a 20 de Novembro de 1954


Trafaria tem seis mil habitantes. Fica localizada na margem esquerda do rio Tejo entre o Bico da Calha e o Portinho da Costa. Na Cova do Vapor (uma localidade com casas em madeira, a maioria utilizada como segunda habitação.) dá-se o encontro do rio Tejo com o Oceano Atlântico.
Chapel Hill é uma cidade localizada no Estado americano de Carolina do Norte, no Condado de Orange. população de 50 mil habitantes.
Abaetetuba é um município brasileiro do estado do Pará com 50 mil habitantes, A cidade cresceu às margens do Rio Maratauíra (ou Meruú), um dos afluentes do Rio Tocantins.Bela cidade histórica.

quarta-feira, fevereiro 17, 2010

'Pérolas' futebolísticas - via e-mail



‘Chegarei de surpresa dia 15, às duas da tarde, vôo 619 da VARIG.’ (Mengálvio, ex-meia do Santos, em telegrama à família quando em excursão à Europa)

‘Tanto na minha vida futebolística quanto com a minha vida ser humana.’ (Nunes, ex-atacante do Flamengo, em uma entrevista antes do jogo de despedida do Zico)

‘Que interessante, aqui no Japão só tem carro importado. (Jardel, ex-atacante do Grêmio)

‘As pessoas querem que o Brasil vença e ganhe.’ (Dunga, em entrevista ao programa Terceiro Tempo)

Eu, o Paulo Nunes e o Dinho vamos fazer uma dupla sertaneja. (Jardel, ex-atacante do Grêmio)


‘O novo apelido do Aloísio é CB, Sangue Bom.’ (Souza, meio-campo do São Paulo, em uma entrevista ao Jogo Duro)

‘A partir de agora o meu coração só tem uma cor: vermelho e preto.’ (Jogador Fabão, assim que chegou no Flamengo)

‘Eu peguei a bola no meio de campo e fui fondo, fui fondo, fui fondo e chutei pro gol.’ (Jardel, ex- jogador do Vasco e Grêmio, ao relatar ao repórter o gol que tinha feito)

‘A bola ia indo, indo, indo… e iu!’ (Nunes, jogador do Flamengo da década de 80)

‘Tenho o maior orgulho de jogar na terra onde Cristo nasceu.’ (Claudiomiro, ex-meia do Inter de Porto Alegre, ao chegar em Belém do Pará para disputar uma partida contra o Paysandu, pelo Brasileirão de 72)

‘Nem que eu tivesse dois pulmões eu alcançava essa bola.’ (Bradock, amigo de Romário, reclamando de um passe longo)

‘No México que é bom. Lá a gente recebe semanalmente de 15 em 15 dias.’ (Ferreira, ex-ponta esquerda do Santos)

‘Quando o jogo está a mil, minha naftalina sobe.’ (Jardel, ex-atacante do Vasco, Grêmio e da seleção)

‘O meu clube estava a beira do precipício, mas tomou a decisão correta, deu um passo a frente.‘ (João Pinto, jogador do Benfica de Portugal)

‘Na Bahia é todo mundo muito simpático. É um povo muito hospitalar.’ (Zanata, baiano, ex-lateral do Fluminense, ao comentar sobre a hospitalidade do povo baiano)

‘Jogador tem que ser completo como o pato, que é um bicho aquático e gramático.’ (Vicente Matheus, eterno presidente do Corinthians)

‘O difícil, como vocês sabem, não é fácil.’ (Vicente Matheus)

‘Haja o que hajar, o Corinthians vai ser campeão.’ (Vicente Matheus)

‘O Sócrates é invendável, inegociável e imprestável.’ (Vicente Matheus, ao recusar a oferta dos franceses).


Vou ficar com a Moto e o Rádio vou dar pra minha mãe (Um atacante carioca ao saber que ganhou um Motorádio como melhor em campo)


Comigo ou sem Migo, vamos vencer! (Outro jogador no intervalo de uma partida)


"Gambá" --  ( Foi o que escreveu um jogador do Cruzeiro ao preencher  o espaço para 'apelido' num formulário na Argentina  - Em espanhol, apelido = sobrenome)


"Somente nos finais de semana" - (Jogador do Botafogo ao preencher o espaço para 'sexo" na ficha do clube)

Arnaud Rodrigues (1942 - 2010)

Som do Paulinho

Rock de Minas

Indio do Uruguai

Cidadão da Mata

E a obra-prima: Folia de Reis


Folia de Rei
Baiano e Os Novos Caetanos
Composição: Chico Anisio e Arnaud Rodrigues

Ai, andar andei!
Ai, como eu andei!
E aprendi a nova lei:
Alegria em nome da rainha
E folia em nome de rei!
Alegria em nome da rainha
E folia em nome de rei!

Ai, mar marujei!
Ai, eu naveguei!
E aprendi a nova lei:
Se é de terra que fique na areia
O mar bravo só respeita rei!
Se é de terra que fique na areia
O mar bravo só respeita rei!
Ai, voar voei!
Ai, como eu voei!
E aprendi a nova lei:
Alegria em nome das estrelas
E folia em nome de rei!
Alegria em nome das estrelas
E folia em nome de rei!

Ai, eu partirei!
Ai, eu voltarei!
Vou confirmar a nova lei:
Alegria em nome de Cristo
Porque Cristo foi o Rei dos reis!
Alegria em nome de Cristo
Porque Cristo foi o Rei dos reis!
Alegria em nome de Cristo
Porque Cristo foi o Rei dos reis!
Alegria em nome de Cristo


Fabretti comenta...

Marco Fabretti fez um comentário muito interessante sobre o vídeo produzido pelos estudantes gaúchos VIVA LA REVOLUCION! . Achei que vale a pena refletir.


meu, hilário... total satírico, perfeito... o primeiro depoimento foi show.

Quanto à questão sobre o conformismo dos jovens de hj, não há implicação com o vídeo, ao meu ver. Não porque não haja um certo conformismo em mentes bem moldadas pelo mundo de hoje, mas pq a posição que eles retratam aí é factual. São esteriótipos presentes em todo movimento estudantil que conheci, da raiva de tão verdadeiro. Ao retratar estes esteriótipos, os caras fizeram um bom trabalho, ponto para eles.

Qto a uma discussão da esquerda no movimento estudantil, cabe àqueles que foram e são esquerda atualmente, os mais velhos, digamos assim, orientar melhor os pupilos, principalmente os partidários. Ler marx, deixar a barba e rodar a baiana qdo se ouve fmi, neoliberalismo, conserrvadores malditos burgueses e coisas do tipo há muito não passa de uma fuga para mentes fracas que não tentam de fato mudar a realidade que as cerca. Geralmente no meio destes movimentos há um ou dois que entendem do que falam, mas estes, como os peixões dos partidos seguidos, só se interessam em manipular a galera che guevara para chegar a esferas de poder maiores. Bom, mas é só uma opinião.

Fechando: a esquerda existe em mais jovens do que se consegue perceber. Mas com coisas tão detupardas como são os movimentos estudantis hoje, essa juventude se manifesta de outra forma, ainda que falte algum catalizador para sua ação. Um indício de um pensamento vivo é quando surgem sátiras sobre os grandes dogmas que levam a manada, ou não? A grande questão é: se os jovens de hj n são os imbecis que seus pais pré democracia acreditam, pq n agem de forma mais vultosa, e se mostram muitas vezes sem empatia alguma por causas ditas importantes? Ou os jovens são de fato imbecis, ou a velha geração já n pode entender o rumo que a nova vai tomando (e portanto, não pode ajudar a guiá-la).

Morre Arnaud Rodrigues

O comediante Antônio Arnaud Rodrigues, de 67 anos, morreu nesta terça, vítima de um naufrágio no Tocantins. Ele trabalhou com Chico Anysio, com quem formou a dupla "Baiano e os Novos Caetanos". Ele estava num barco que naufragou a vinte quilômetros de Palmas, capital do estado.O acidente ocorreu por causa das fortes chuvas.
Arnaud Rodrigues era ator, cantor, compositor e comediante. Trabalhou nos programas de Chico Anysio na Rede Globo, no Programa "A Praça é Nossa" com Carlos Alberto de Nóbrega no SBT. Além disso, destacou-se em novelas, sobretudo com sua personagem "Soró", na novela "Pão, pão, queijo, queijo" de Walter Negrão. .
Junto com o ator estavam no barco mais nove pessoas, entre elas quatro crianças. Desse total, sete já haviam sido socorridas por chacareiros da região e passavam bem. A esposa e dois netos do ator estavam entre os sobreviventes, bem como um casal de amigos e seus dois filhos.
Confira abaixo o clássico 'Bate Pa Tu' - Uma brincadeira com os cantores baianos e um recado à ditadura e os dedoduros que existiam na época. Repare na parte da letra:
O caso é esse
Dizem que falam que não sei o que
Tá pá pintá ou tá pá acontecer
É papo de altas transações
Deduração um cara louco
Que dançou com tudo
Entregação com dedo de veludo
Com quem não tenho grandes ligações


terça-feira, fevereiro 16, 2010

Antigos Carnavais

Mosela, Petrópolis, 1976. A turma antes de ir pra matinée do Clube Petropolitano. Em pé: João Carlos de Souza Oddo, eu, Luis Claudio de Souza Oddo. Agachados: Miguel Angelo Henley Gomes (meu sobrinho) e Célio Flores Júnior.

Dia do Repórter

Vasculhando os arquivos encontrei essa foto. Dia do Reporter em 2001. Amarildo Torres, da Band (hoje diretor de comunicação e marketing do deputado federal Odílio Balbinotti), entrevistava o pessoal de O Diário. Esqueçam a pochete, ok?

segunda-feira, fevereiro 15, 2010

Ghent, Biguaçu, Ipirá...




Recebemos visitas de Ghent uma cidade histórica na Bélgica. A área da cidade  já era habitada na Idade da Pedra. O nome da cidade é derivado da palavra celta ganda ', que significa "confluência dos rios. Hoje,  Ghent é porto e cidade universitária. Tem 240 mil habitantes.

Amigos também em Biguaçu, Santa Catarina. A cidade está situada entre os dois maiores portos catarinenses, Itajaí e Imbituba, e próximo da capital, Floripa. Tem 56 mil habitantes.Na foto, o Casarão Born, construído no final do século 19


Ipirá fica no estado da Bahia. Tem 62 mil habitantes. Quem nasce em Ipirá é chamado de Ipiraense. O fundador da povoação deu-lhe o nome de Ipirá do Camisão, pelo fato de ser descendente do Coronel Camisão. Você nunca ouviu falar do Coronel Camisão? Então, clique AQUI. É nome de uma rua em Maringá.

É tão ruim que ficou muito bom (de tão ruim!)

Prepare os ouvidos. É inacreditável.

Leonardo Filho

O repórter Leonardo Filho e a esposa Silvina encontram uma tartaruga gigante durante um passeio em Natal

Livro raro não será reeditado

Essa é a capa do livro Noel Rosa - Uma Biografia, de João Máximo e Carlos Didier. Lançado em 1990, pela Editora UnB, o livro ficou disponível em catálogo até 1994, vendendo cerca de 15 mil exemplares. Hoje, o livro é raríssimo e dificilmente será relançado (nos sebos, está valendo algo em torno de R$ 400 para colecionadores). Felizmente eu tenho um exemplar e garanto: o livro é gostoso de ler, uma viagem para se compreender um pouco esse compositor e a história desse nosso país.
Os direitos autorais pertenciam a esposa de Noel, a Lindaura, que morreu em 2001. Depois surgiram duas sobrinhas do compositor, filha do irmão dele, o Hélio. Estão dizendo que Noel nunca fora casado com Lindaura, e que elas são as verdadeiras herdeiras. Assim, as sobrinhas moveram um processo contra os autores da biografia e a UnB, alegando 'invasão de privacidade da família Medeiros Rosa'.
E tem mais: os autores João Máximo e Carlos Didier não se falam desde 1997. Em entrevista ao Estado de São Paulo, Máximo garantiu que este livro nunca mais será relançado. "Eu entendo que não bastaria apenas mais uma reimpressão. Teríamos de reparar erros que existem e dar uma enxugada na extensão do livro. Eu cheguei a procurar o Didier por várias vezes, mas ele não atendeu. Hoje não seria mais possível trabalharmos com a mesma harmonia de antigamente". E Didier também argumentou: "É claro que eu quero que este livro saia novamente. Meu problema com o João não foi superado, mas Noel Rosa é superior a isso".

Coleção de CDs é encontrada!

Olha só que legal. Está lá na comunidade de História da UEM (Universidade Estadual de Maringá). O estudante Wellington encontrou alguns CDs originais jogados em uma lixeira na Av. Paranaguá. Ele escreveu: Foram encontrados alguns CDs originais jogados em uma lixeira na Av. Paranaguá, próximo aos Blocos de Letras da UEM. Por ser uma quantidade considerável e em ótimo estado de conservação eu duvido que a pessoa tenha mesmo jogado-os fora, por isso imagino que algum ladrão os tenha deixado ali após um assalto a casa ou carro do proprietário.Apesar de adorar a idéia de ficar com eles, pois são de bandas que gosto, se fosse eu o dono dos CDs gostaria que alguém fizesse o mesmo que eu estou fazendo, então quem os perdeu entre em contato!
Ps: logicamente não irei dizer quais são os CDs e de que bandas são.Para entrar em contato com a comunidade é só clicar nesse link:  História UEM.
(Com informações do blog Maringá, Maringá )
.

Viva la revolucion !!

Sátira aos ideais de esquerda feita pelos alunos de Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFGRS). kit Left Revolution!

O vídeo não deixa de ser polêmico. É pura sátira ou a confirmação do conformismo e da indiferença do estudante de hoje?

Meus Carnavais

Carnaval me faz lembra da época que morava no Rio. Não que eu curtisse tanto o carnaval assim. Muitas vezes eu passava a madrugada em sessões contínuas em cinemas. Mas o carnaval estava lá, na rua. Em frente ao meu apartamento, tinha um boteco, o Bar do Tarzan. Eu via tudo da janela do sétimo andar do edificio Augusto Aragão, na Barata Ribeiro, em Copa. O bar vivia cheio de porteiros, garçons, balconistas. E na quarta-feira, bem cedo, quando eu ia pegar um ônibus para Petrópolis, via aquele povo carregando os carros alegóricos, alguns já quebrados. Passistas dormiam na sombra "de faraós embalsamados", conforme Aldir Blanc e João Bosco comentaram na canção O Rancho da Goiabada. Obra-prima na voz de Elis.


O Rancho da Goiabada
especial da TV bandeirantes.
(João Bosco, Aldir Blanc)

Os bóias-frias quando tomam umas birita
Espantando a tristeza
Sonham com bife-a-cavalo, batata-frita
E a sobremesa

É goiabada-cascão com muito queijo
Depois café, cigarro e um beijo
De uma mulata chamada Leonor ou Dagmar

Amar
O rádio-de-pilha, o fogão-jacaré, a marmita, o domingo
no bar
Onde tantos iguais se reúnem contando mentiras
Pra poder suportar

Ai, são pais-de-santo, paus-de-arara são passistas
São flagelados, são pingentes, balconistas
Palhaços, marcianos, canibais, lírios, pirados
Dançando dormindo de olhos abertos à sombra da alegoria
Dos faraós embalsamados

domingo, fevereiro 14, 2010

Bud Brasil

Cerveja aprovada é a Budweiser argentina. Agora, a mais tradicional cerveja da marca norte-americana terá seu lançamento no Brasil. É bom lembrar que a Bud agora é da Ambev que em 2008 comprou a cervejaria Anheuser-Busch.
Seis empresas de publicidade disputam a conta da Bud.

De noite ou de dia...

A Harley-Davidson 1952 e o Simca Chambord 1959 do Inspetor Carlos estão de volta. Acaba de sair a série "O vigilante rodoviário" em DVD (Spectra Nova). Tem 35 dos 38 episódios exibidos em 1961 e 1962 pela TV Tupi. Tres deles são foram recuperados. O ex-ator Carlos Miranda, agora com 76 anos, conta que passou seis meses treinando na Escola de Policiamento Rodoviário da PM de São Paulo, aprendendo ainda defesa pessoal, jiu-jítsu e boxe . Miranda gostou tanto do personagem que resolveu encarna-lo na vida real, trocando a profissão de ator pela de policial rodoviário (Veja o vídeo). Em tempo: a série é exibida no Canal Brasil (para assinantes).Esse seriado. até então, era mais comentado do que visto.

quinta-feira, fevereiro 11, 2010

Parao Alto e Avante!




Por Elton Telles 

Com o anúncio dos indicados ao Oscar na semana passada, o Cinema Falado inicia a temporada de 2010 com uma série especial aos filmes lembrados pela Academia neste ano. Começaremos com a animação “Up – Altas Aventuras” (2009), dirigida por pelos animadores Pete Docter e Bob Peterson. O filme recebeu 5 indicações ao Oscar, incluindo as categorias Melhor Roteiro Original, Melhor Animação e a categoria máxima, Melhor Filme. Apresentado pelo trio de cinéfilos Thiago Ramari, Marcelo Bulgarelli e Elton Telles, o Cinema Falado vai ao ar nesta sexta-feira (12/02), às 21h, com reprises no domingo, às 18h; na segunda-feira, às 2h; quarta-feira, às 3h e na sexta-feira, às 5h.

Escrito pela dupla de diretores, ao lado do cineasta Tom McCarthy (conhecido pelos seus trabalhos independentes no cinema), “Up – Altas Aventuras” conta a história do idoso Carl Fredricksen, que após perder a companhia da esposa, torna-se uma pessoa solitária e amargurada. A casa em que Carl mora está localizada num ponto estratégico da cidade em que um arranha-céu está prestes a ser construído. Para não ser enviado a um asilo e não ter sua moradia destruída, já que o local tem um valor sentimental para ele, Carl decide amarrar milhares de balões no teto de sua casa e alçar voo. Sua intenção é chegar até o Paraíso das Cachoeiras, na América do Sul, onde sua excompanheira sempre quis conhecer. Lá, Carl vai descobrir que não está sozinho e passará por aventuras inesquecíveis.

Fundada em 1986, os Estúdios Pixar se tornou uma referência em como se produzir um filme de animação. Há 24 anos, produziram dezenas de curtas-metragens, mas apenas em 1995, a empresa lançou seu primeiro longa-metragem: o renomado “Toy Story”. Desde então, a Pixar se supera a cada ano, combinando excelência em técnica e preocupação com um roteiro mais coerente e bem construído, como é o caso de “Procurando Nemo” (2003); “Os Incríveis” (2004); “Ratatouille” (2007) e “Wall-E” (2008). A Pixar é um antro de pessoas talentosas que não se preocupam apenas no (bom) entretenimento – como é o caso da Dreamworks, outra empresa do ramo – mas também se atenta a uma história mais humana, mais próxima dos espectadores, mais inteligente e sofisticada.

“Up – Altas Aventuras”, como o próprio subtítulo indica, é recheado de aventura, mas também tem boas doses de comédia e de cenas comoventes. O filme é o equilíbrio perfeito entre doçura e a melancolia, por isso é o típico exemplar que agrada a todas as idades. Vale a pena se divertir e se emocionar com Carl e sua trupe. Se vai levar o Oscar deste ano, ficaremos sabendo apenas no dia 7 de março, quando os vencedores forem revelados. No entanto, mais importante do que isso, é reconhecer o amadurecimento e humanismo que a Pixar injetou nas animações que produziu ao longo desses anos. E isso já é motivo suficiente para comemoração.


TÍTULO: UP - ALTAS AVENTURAS
TÍTULO ORIGINAL: UP
ANO: 2009
PAÍS DE ORIGEM: EUA
DIREÇÃO: PETE DOCTERE BOB PETERSON
ROTEIRO: PETE DOCTER, BOB PETERSON E TOM MCCARTHY
ELENCO: VOZES DE EDWARD ASNER, CHRISTOPHER PLUMMER, DELROY LINDO - NO BRASIL, A DUBLAGEM DO PROTAGONISTA FOI FEITA POR CHICO ANYSIO


Trailer


RÁDIO UNIVERSITÁRIA CESUMAR - 94,3
O programa pode ainda ser ouvido, no horário da tranmissão, através do sitehttp://www.radiocesumar.com.br/

Para participar do programa:
e-mail: cinemafalado@gmail.com / atendimento@radiocesumar.com.br

Comunidade no Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=14478758

quarta-feira, fevereiro 10, 2010

Güstrow -Biritibamirim - Leesburg


Bar do Bulga recebendo visitas de cliente de Güstrow, um distrito da Alemanha localizado no estado de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental.População de 101 mil habitantes.
Registramos a presença de clientes de Biritibamirim, município do estado de São Paulo, na região metropolitana da capital paulista, microrregião de Mogi das Cruzes. A origem deste nome vem do tupi-guarani, onde: "Biri = flor que nasce em abundância na região, em terrenos alagados" "Mirim = pequeno". Assim, Biritibamirim = lugar pequeno onde nascem muitos biris. População de 29 mil habitantes.

Leesburg é uma cidade localizada no estado americano de Flórida, no Condado de Lake.População estimada em 20 mil habitantes. .

A Devassa

A Devassa - a cerveja especial presente em bares especiais - terá uma nova versão. Agora será a Devassa Bem Loura, uma pilsen que faltava na família das devassas (já temos a Loura, Ruiva e Negra). Ela vem nas versões 600 ml, lata e chope. A Schincariol - dona da marca - vai investir R$ 100 milhões para lançar a Devassa Bem Loura. Só para se ter uma idéia, será Paris Hilton a menina propaganda. O slogan? “Bem Devassa” Lançamento anunciado para o eixo Rio-São Paulo. O restante do país vai esperar alguns meses. (com informações do Hummm! Cerveja!)

Confira o vídeo!

O primeiro sutiã a gente não esquece


Uma das campanhas mais belas da W/Brasil de Washington Olivetto. Muita sensibilidade. Premiadíssima. Uma das melhores dos anos 80.

Confira



Agora a história de Maringá tem mais um blog. É o da TV Girafa.

terça-feira, fevereiro 09, 2010

Lembranças


José Ramiro Sobrinho, o Pena Branca (nascido em Igarapava, interior de São Paulo em 1939, morto em São Paulo, 2010) e Ranulfo Ramiro da Silva, o Xavantinho (nascido em Uberlândia em 1942, morto em 1999).

Carnaval 1

Se o amor é fantasia, eu me encontro ultimamente em pleno carnaval.
Vinícius de Moraes

segunda-feira, fevereiro 08, 2010

O Blog do Mug

Essa é do blog MUG BONECO DA SORTE totalmente dedicado a esse talismã que surgiu na década de 60. É lógico que não me lembro de nada ou quase nada. O que restou foi esse boné (aqui devidamente colocado na cabeça da Ana). Curioso é que o blog do Mug conta que até Chico Buarque lamentou o dia em que roubaram o boneco dele. O Mug vinha com um folheto que tentava explicar a origem dessa coisa (muito feia por sinal).