quarta-feira, outubro 05, 2016

Dick Peter

A primeira vezx que li algo sobre Dick Peter foi no Manual do Mickey (1973).  Agora encontro As Aventuras de Dick Peter , um seriado radiofônico com o patrocínio do Café Jardim. Começou em 1937 em episódios semanais com transmissões, primeiramente pela Rádio Difusora e depois, na Rádio Tupi (1938), ligada aos Diários Associados, em São Paulo, mantendo com sucesso, durante três anos.
As histórias se passavam em Nova York e com grandes pinceladas de ficção científica, além da trama policial. Envolvia confrontos com bandidos assassinos caçadores de tesouro, civilizações perdidas no tempo, renascidas através de aparatos tecnológicos preservados em subterrâneos ou contra homens invisíveis, criados por cientistas malucos.
Segundo André Paiva Padrão, em sua tese de mestrado sobre o romance policial, a narrativa transparente e dinâmica de Jeronymo despertava o interesse pelas aventuras, criando um padrão de linguagem para o rádio. O programa atingiu enorme popularidade projetando a ficção científica de Jeronymo.
Os romances mantiveram a linguagem novelesca própria do processo radiofônico, sem maiores
adaptações à representação escrita da ficção policial.  ( via Jerony Monteiro )

O Detetive Dick Peter fez tanto sucesso, que Jeronymo publicou 15 livros com o personagem nos anos seguintes, usando o pseudônimo de Ronnie Wells, por exigência do patrocinador. E ainda lançou álbum de figurinhas
Em 1947, já em sintonia com o aumento da literatura quadrinizada, a série começa a ser editada em tiras desenhadas por Abílio Corrêa no jornal Diário da Noite.
E, em 1952, já sob assinatura do próprio Jeronymo, As Aventuras de Dick Peter transformam-se em histórias em quadrinhos. E são a partir de então desenhadas por Jayme Cortez e com roteiros escritos por Syllas Roberg.
Jeronymo fundou a Sociedade Brasileira de Ficção Científica em 1964 e, no início da década de 1970, tornou-se editor do Magazine de Ficção Científica, edição brasileira do The Magazine of Fantasy & Science Fiction estadunidense.
Na década de 1990, a Isaac Asimov Magazine (edição brasileira da Asimov's Science Fiction) criou um "Prêmio Jerônymo Monteiro" em homenagem ao escritor.
Foi o primeiro editor da revista O Pato Donald. Traduziu para o português histórias em quadrinhos de Walt Disney, inventando os nomes de personagens Disney que subsistem até hoje no Brasil, como por exemplo, Tio Patinhas e Huguinho, Zezinho e Luizinho, entre outros.

Nenhum comentário :