terça-feira, março 25, 2014

Ecos de Elizabeth Montgomery
































Um comentário :

Anônimo disse...

Como eu amo a Elizabeth/Samantha!! É coisa de infância, quando tinha lá meus 9 ou dez anos e assistia, ainda em preto em branco, num televisor Invictus, com válvulas, aos episódios de "A Feiticeira". Sua beleza, seu jeito doce e meigo, suas caras e bocas...., quem não se apaixonaria!! Sinto saudades e fico triste ao saber que ela se foi ainda jovem, acometida de um câncer. Mas seu legado permanece de geração a geração!! Pena que as crianças e adolescentes de hoje estejam antenados em outras coisas, esquecendo-se da mágica e dos sonhos que embalavam as gerações do passado!!!