sexta-feira, fevereiro 28, 2014

quarta-feira, fevereiro 26, 2014

Dia do Repórter


Gafe (?)

Itaú recolhe agenda de 2014 distribuída a clientes, que considera 31 de março o “aniversário da revolução de 1964″. "A inclusão da frase na agenda foi equivocada, em nada reflete o DNA e as crenças do Itaú Unibanco." , explicaram.

A história do ódio no Brasil

“Achamos que somos um bando de gente pacífica cercados por pessoas violentas”. A frase que bem define o brasileiro e o ódio no qual estamos imersos é do historiador Leandro Karnal. A ideia de que nós, nossas famílias ou nossa cidade são um poço de civilidade em meio a um país bárbaro é comum no Brasil. O “mito do homem cordial”, costumeiramente mal interpretado, acabou virando o mito do “cidadão de bem amável e simpático”. Pena que isso seja uma mentira. “O homem cordial não pressupõe bondade, mas somente o predomínio dos comportamentos de aparência afetiva”, explica o sociólogo Antônio Cândido. O brasileiro se obriga a ser simpático com os colegas de trabalho, a receber bem a visita indesejada e a oferecer o pedaço do chocolate para o estranho no ônibus. Depois fala mal de todos pelas costas, muito educadamente. Leia mais AQUI

Fantasy

Para os que nos deixam com a impressão de que havia muito ainda a realizar...


RIP Silvana Martins

Texto da France Football que circula no Facebook é falso

Uma reportagem da revista francesa France Football, edição de 28 de janeiro de 2014, virou febre para alguns usuários do Facebook. Há quase um mês, um post já foi compartilhado mais de 200 mil vezes com informações erradas sobre o conteúdo escrito pelos jornalistas Éric Champel, Éric Frosio e François Verdenet. O UOL Esporte leu e já relatou a reportagem nas seguintes matérias O que a imprensa internacional faz para (tentar) entender o Brasil da Copa e Blatter diz que Copa no Brasil está mais atrasada que a da África do Sul. Abaixo, você verá o confronto do que diz a matéria francesa e o post apócrifo divulgados por vários perfis do Facebook, alguns com centenas de milhares de compartilhamentos. Até o apresentador Fernando Vannucci o fez, gerando mais de 25 mil compartilhamentos.



LEIA MAIS AQUI

terça-feira, fevereiro 11, 2014

Shirley Temple (23 de Abril de 1928 – 10 de Fevereiro de 2014)


 
























Shirley Temple na Disneyland com a filha Susan e o filho Charles em 1956.

s Shirley Temple (1928-2014) com o ator John Agar (1921-2002)

Marilena Chauí

"A classe média é uma abominação política, porque é fascista, é uma abominação ética porque é violenta, e é uma abominação cognitiva porque é ignorante" (Marilena Chauí).

sábado, fevereiro 08, 2014

O VAMPIRO DA NOITE - 1958




Direção: Terence Fisher

Elenco:
Peter Cushing ... Doctor Van Helsing

Christopher Lee ... Count Dracula
Michael Gough ... Arthur
Melissa Stribling ... Mina
Carol Marsh ... Lucy
Olga Dickie ... Gerda
John Van Eyssen ... Jonathan
Valerie Gaunt ... Vampire Woman
Janina Faye ... Tania (as Janine Faye)
Barbara Archer ... Inga
Charles Lloyd Pack ... Doctor Seward
George Merritt ... Policeman
George Woodbridge ... Landlord
George Benson ... Official
Miles Malleson ... Undertaker - J. Marx
Geoffrey Bayldon ... Porter
Paul Cole ... Lad
Jonathan Harker chega ao castelo do Conde, passando-se por bibliotecário. Ali dentro ele é assustado por uma jovem mulher, que lhe implora socorro, dizendo-se uma prisioneira. A moça treme de pavor com o surgimento de Drácula, que surge sobre uma grande escadaria. O Conde cumprimenta Jonathan e o conduz para um aposento, como hóspede - mas ali é trancado. Jonathan começa a escrever no seu diário, ocasião em que é revelada sua verdadeira intenção ao hospedar-se ali: viera para matar o vampiro. A estranha mulher volta a lhe pedir auxílio e, fingindo chorar, morde-lhe o pescoço. Drácula surge e, violentamente, afasta-a de sua vítima. O casal sai e Jonathan fica preocupado em tornar-se, também ele, um vampiro. Então explora o castelo, indo até um lugar onde ficam os caixões em que Drácula e sua mulher se ocultam ao amanhecer. Tomando de uma estaca, decide primeiro matar a fêmea-vampiro. Os gritos desta despertam o Conde e, quando Jonathan abre-lhe a tumba, esta já está vazia - e Drácula o espera, à saída. É depois desta cena que a história efetivamente tem início, com a chegada do Dr. Van Helsing, que procura por seu amigo Jonathan. Fica horrorizado por encontrá-lo dormindo num caixão, qual vampiro. Cravando-lhe uma estaca no peito, Van Helsing parte de volta à Inglaterra, para dar a triste notícia à noiva do morto, Lucy, que está acompanhada por seu irmão Arthur Holmwood e a esposa, Mina. Arthur despede-se apressadamente de Helsing, mas logo depois vai em busca de sua ajuda, pois a irmã está estranhamente adoentada. Compreendem que o Conde, sequioso de vingança, deseja substituir sua mulher assassinada por Jonathan pela noiva deste, Lucy. Lucy transforma-se numa vampira, e tenta seduzir uma sobrinha, sendo impedida em seus intentos com a chegada de Van Helsing e Arthur, que salvam a menina. O médico sugere que usem Lucy para localizarem Dracula, mas Arthur se opõe, então ela é colocada num caixão. Os dois recebem a notícia de que um caixão havia chegado e deveria ser entregue recentemente em a mansão alugada pelo Conde, que ignoram onde seja. Chegando, por subornos, até onde a peça mortuária deveria estar, ela já desaparecera. De volta para casa, encontram Mina num estado estranho. Decidem voltar a investigar o paradeiro do caixão mas, antes de partir, Arthur pede à esposa para segurar um crucifixo. Ela reluta e, quando ele encosta-lhe a peça sagrada, sua pele queima-se, criando uma cicatriz: Mina grita e, num salto, desmaia. Van Helsing localiza o caixão num porão, e cerca o lugar com várias cruzes, mas o Conde o prende ali, raptando Mina. Arthur liberta o médico, dando início a uma perseguição, em que Drácula tem pressa para retornar ao seu esconderijo, antes que amanheça. Antes, porém, ele tenta enterrar Mina num cemitério, e é ali descoberto. Acabam por ficar todos cercados no interior da mansão. Drácula começa a enforcar Van Helsing que, fingindo desmaio, é solto. Reunindo as forças, o médico abre uma fresta nas cortinas, por onde penetra a luz solar. Fazendo uma cruz com castiçais, força o Conde em direção aos raios luminosos. Drácula é feito em pó, ao contato com o sol, enquanto Van Helsing assiste, horrorizado, a cena da destruição do seu inimigo. Mina recupera sua humanidade, enquanto a cicatriz da queimadura desaparece, à medida que o Conde vira cinzas, deixando inteiro apenas seu estranho anel.



"

quinta-feira, fevereiro 06, 2014

'The Tribulations of Tommy Tiptop' .


Cada infancia com seus pesadelos...














'The Tribulations of Tommy Tiptop' by M.B., 1887
sorry Timmy - no matter how you look at it, you’re fucked…