sábado, abril 30, 2011

Nelson Rodrigues





VESTIDO DE NOIVA

(...) " Madame Clessi
Quer falar comigo?

Alaíde ( aproximando-se, fascinada )
Quero, sim. Queria...

Madame Clessi
Vou botar um disco. ( Dirige-se para a invisível vitrola, com Alaíde atrás )

Alaíde
A senhora não morreu?

Madame Clessi
Vou botar um samba. Esse aqui não é muito bom. Mas vai assim mesmo. ( Samba surdinando ) Está vendo como estou gorda, velha, cheia de varizes e de dinheiro?

Alaíde
Li o seu diário.

Madame Clessi ( cética )
Leu? Duvido! Onde?

Alaíde ( afirmativa )
Li, sim. Quero morrer agora mesmo, se não é verdade!

Madame Clessi
Então diga como é que começa. ( Clessi fala de costas para Alaíde )

Alaíde ( recordando )
Quer ver? É assim... ( Ligeira pausa ) "Ontem, fui com Paulo a Paineiras"... ( feliz )É assim que começa.

Madame Clessi ( evocativa )
Assim mesmo. É.

Alaíde ( perturbada )
Não sei como a senhora pôde escrever aquilo! Como teve coragem! Eu não tinha!

Madame Clessi ( à vontade )
Mas não é só aquilo. Tem outras coisas.

Alaíde ( excitada )
Eu sei. Tem muito mais. Fiquei!... ( Inquieta ) Meu Deus! Não sei o que é que eu tenho. É uma coisa – não sei. Por que é que eu estou aqui?

Madame Clessi
É a mim que você pergunta?"
(...)

RODRIGUES Nélson. Teatro Completo. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1981, pág. 114

The photo,,,

Piores momentos da TV brasileira

Navigator - uma odisséia no tempo


Título Original:
The Navigator: a medieval odyssey
País:
Austrália - Nova Zelândia
Ano:
1988
Direção:
WARD, Vincent
Elenco:
Bruce Lyons - Chris Haywood - Hamish McFarlane - Marshall Napier - Noel Appleby - Paul Livingston - Sarah Peirse - Mark Wheatley - Tony Herbert - Jessica Cardiff-Smith - Roy Wesney - Kathleen-Elizabeth Kelly - Jay Saussey - Charles Walker - Desmond Kelly


Um belo paralelo entre a idade Média e o mundo nos anos 80. A Peste e a Aids. E a falta de perspectiva e a dúvida da fé. 

"

Espírito esportivo

sexta-feira, abril 29, 2011

Conheço um lugar...

Choperia Gehren, Petrópolis, Rio, Brasil -  O chopp é bom, o papo é bom
mas fecha cedo pra caramba...

Paulo Cesar Pinheiro


Paulo Cesar Pinheiro interpreta a primeira obra-prima, Viagem. Ele está completando 62 anos.  Tem mais de duas mil  letras compostas, cerca de mil  ja  gravadas. Foi um grande parceiro de  João Nogueira  e um dos maiores letristas da música brasileira. .


"

quinta-feira, abril 28, 2011

Metodologia Russa

A SETRAN - Secretaria de  Transito - já tem uma forma de retirar carros estacionados em locais proibidos

Pablo Neruda





Vinte poemas de Amor e uma canção desesperada




"Posso escrever os versos mais tristes esta noite.

Escrever, por exemplo: "A noite está estrelada
e tiritam, azuis, os astros à distância".

O vento desta noite gira no céu e canta.

Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Eu a quis e por vezes ela também me quis.

Em noites como esta apertei-a em meus braços.
Beijei-a tantas vezes sob o céu infinito.

Ela me quis e às vezes eu também a queria.
Como não ter amado seus grandes olhos fixos?

Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Pensar que não a tenho. Sentir que já a perdi.

Ouvir a noite imensa mais profunda sem ela.
E cai o verso na alma como o orvalho no trigo.

Que importa se não pôde o meu amor guardá-la?
A noite está estrelada e ela não está comigo.

Isso é tudo. À distância alguém canta. À distância.
Minha alma se exaspera por havê-la perdido.

(...)

A mesma noite faz brancas as mesmas árvores.
Já não somos os mesmos que antes tínhamos sido.

Já não a quero, é certo, porém quanto a queria!
A minha voz no vento ia tocar-lhe o ouvido.

De outro. Será de outro. Como antes de meus beijos.
Sua voz, seu corpo claro, seus olhos infinitos.

Já não a quero, é certo, porém talvez a queira.
Ah, é tão curto o amor, tão demorado o olvido.

Porque em noites como esta a apertei nos meus braços
minha alma se exaspera por havê-la perdido.

Mesmo que seja a última esta dor que me causa
e estes versos os últimos que eu tenha escrito."


NERUDA, Pablo. Vinte Poemas de Amor e Uma canção Desesperada. Rio de Janeiro, 1978, pág. 64-67

Você lembra?

Um colega comprou esse LP (acho que a edição brasileira só tinha a faixa título)
apos uma  aula do curso de ingles no CCAA em Petrópolis.
. Curiosamente, o disco era colorido, igual aqueles disquinhos infantis

Hoje e amanhã no SESC

O projeto Autores & Idéias  terá duas edições na região de Maringá. Nesta quinta, dia 28,  teremos o bate-papo com a escritora Angela Lago e Domingos Pelegrini,com a mediação do jornalista Marcelo Bulgarelli (dono desse blog). Será no Sesc de Paranavaí.
A escritora Angela Lago fará uma roda de Leitura, às 15hs do mesmo dia para crianças, com agendamento prévio.
No dia seguinte, sexta, o papo será no Sesc de Maringá.  Entrada franca.

Fernanda Bulgarelli

Hoje, 28 de abril, é aniversário da bailarina e coreógrafa Fernanda Bulgarelli. Conceituada no Rio, um dos orgulhos da familia. E é minha prima.

Um Clarão nas Trevas (1967)


Uma obra-prima do suspense. Hepburn está magnífica e a trilha sonora é fantástica. Eterno cult. 

 Uma boneca recheada de heroína é a razão desta trama que envolve Roat, um frio assassino psicopata, e Suzy, uma moça que ficou cega e ainda não aprendeu a viver na escuridão. Seus caminhos se cruzam em uma noite de medo e agonia, onde a escuridão é a única chance de fuga para Susy.
Pequena obra-prima de suspense - esqueça as imitações. Um clássico do suspense. 



quarta-feira, abril 27, 2011

Neusinha Brizola

Morreu na tarde desta quarta-feira, 27, no Rio, Neusa Maria Goulart Brizola, de 56 anos, filha do ex-governador do Rio, Leonel Brizola (1922 - 2004). Neusinha Brizola, como era conhecida, morreu por volta das 15h30, por complicações pulmonares decorrentes de uma hepatite C, na Clínica São Vicente. Seu único sucesso musical foi Mintchura, em meados da década de 80. Era a filha rebelde do Brizolão.

Cheguei no baixo-gavea solteirinha e assanhada da silva
Depois do sexto chopp pinta um broto me chamando a atenção
Daqueles que agente nem pensa, só sabe que quer
Aí me convidou para uma festa na sua cobertura
Falando empolgado que a Blitz estária por lá
No ato eu topei e com ele pra festa sartei
"Aonde cê tá me levando?
Avenida Brasil?
Tira essa mão daí!
Olha o ônibus!
Cuidado!"
Chegamos em um bairro afastado numa rua escura
O prédio era tão velho que não tinha nenhum elevador
A cobertura era uma kitnet a festa era mintchura
Mintchura, mintchura
Mintchura, mintchura
Mintchura, mintchura
Mintchura, mintchura
Com mais um desses contratempos me aposento e vou morar na Pavuna
Chegamos em um bairro afastado numa rua escura
O prédio era tão velho que não tinha nenhum elevador
A cobertura era uma quitinete a festa era mintchura
Mintchura, mintchura
Mintchura, mintchura
Mintchura, mintchura
Mintchura, mintchura
Com mais um desses contratempos me aposento e vou morar na Pavuna
Mintchura, mintchura
Mintchura, mintchura
Mintchura, mintchura
Mintchura, mintchura
Com mais um desses contratempos me aposento e vou morar na Pavuna
"Mintchura seu tolinho

frase

"Infelizmente o Brasil está atolado num cafona e imenso arraial agrobrega",
Lobão - cantor e compositor

Conheço um lugar...

Cronico Bar - Palermo Soho, Buenos Aires, Argentina
Visite /http://cronicobar.com/

Tratado geral da cerveja


1 A CERVEJA MATA?
Sim. Sobretudo se a pessoa for atingida por uma caixa de cerveja com
garrafas cheias. Anos atrás, um rapaz, ao passar pela rua, foi atingido por 1 caixa
de cerveja que caiu de um caminhão levando-o a morte instantânea
Além disso, casos de infarto do miocárdio em idosos teriam sido associados
as propagandas de cervejas com modelos.

2O USO CONTINUO DO ALCOOL PODE LEVAR AO USO DE DROGAS MAIS PESADAS?
Não, o álcool é a mais pesada das drogas: uma garrafa de cerveja pesa cerca
de 900 gramas .

3 CERVEJA CAUSA DEPENDÊNCIA PSICOLÓGICA?
Não. 89,7% dos psicólogos e psicanalistas entrevistados preferem whisky

4 MULHERES GRÁVIDAS PODEM BEBER SEM RISCO?
Sim. Está provado que, nas blitz, a polícia nunca pede o teste do bafômetro
pras gestantes... . E se elas tiverem que fazer o teste de andar em linha
reta, sempre podem atribuir o desequilíbrio ao peso da barriga.

5 CERVEJA PODE DIMINUIR OS REFLEXOS DOS MOTORISTAS?
Não. Uma experiência foi feita com mais de 500 motoristas: foi dada 1 caixa
de cerveja para cada um beber e, em seguida, foram colocados um por um
diante do espelho. Em nenhum dos casos, os reflexos foram alterados.

6 EXISTE ALGUMA RELAÇÃO ENTRE BEBIDA E ENVELHECIMENTO?
Sim. A bebida envelhece muito rápido... Para se ter uma idéia, se você
deixar uma garrafa ou lata de cerveja aberta ela perderá o seu sabor em
aproximadamente quinze minutos.

7 A CERVEJA ATRAPALHA NO RENDIMENTO ESCOLAR?
Não, pelo contrário. Alguns donos de faculdade estão aumentando suas rendas
com a venda de cerveja nas cantinas e bares na esquina.

8 O QUE FAZ COM QUE A BEBIDA CHEGUE AOS ADOLESCENTES?
Inúmeras pesquisas vinham sendo feitas por laboratórios de renome e todas
indicam, em primeiríssimo lugar, o garçom.

9 A CERVEJA CAUSA DIMINUIÇÃO DA MEMÓRIA?
Que eu me lembre, não.

terça-feira, abril 26, 2011

Dayse Hess


A blogueira conta o que vai fazer no dia do casamento de William & Kate

Ela voltou! Tá certo que Dayse Hess (especialista em moda) continua curtindo a vida na Inglaterra, junto com o maridão e filhotes. Porém ela se reaproxima de Maringá com um blog que tem a cara dela, cheia de estilo. É o  Upsy Dayse! 
Saudades de você, menina!
Dayse saúda os noivos do casamento do século

Contra homofobia

Quando era um militar, me condecoraram com uma medalha
por matar dois homens. E me expulsaram quando amei um. 

Simetria (para refletir)

segunda-feira, abril 25, 2011

Conheço um lugar...

DSC05190.JPG
Pomerode (portal) - Santa Catarina - Brasil 

"

Tributo ao Spaghetti Western


"

Grandola, Vila Morena


Hoje é aniversário da Revolução dos Cravos, nome dado ao movimento que derrubou o regime salazarista em Portugal, em 1974. Em 1984 , o Jornal do Brasil destacou os 20 anos da revolução, lembrando também a canção "Grândola, Vila Morena" composta por Zeca Afonso que foi escolhida pelo Movimento das Forças Armadas (MFA) para ser a segunda senha de sinalização da Revolução dos Cravos. A canção refere-se à fraternidade entre as pessoas de Grândola, no Alentejo, e teria sido banida pelo regime salazarista como uma música associada ao Comunismo. Às zero horas e vinte minutos do dia 25 de Abril de 1974, a canção era transmitida na Rádio Renascença, a emissora católica portuguesa, como sinal para confirmar as operações da revolução. Por esse motivo, a ela ficou associada, bem como ao início da Democracia em Portugal. Ouça aqui na voz de Nara Leão.


Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade
Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada esquina, um amigo
Em cada rosto, igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto, igualdade
O povo é quem mais ordena
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola, a tua vontade
Grândola a tua vontade
Jurei ter por companheira
À sombra duma azinheira

Hoje é segunda-feira...

E quem vai limpar toda essa bagunça?

domingo, abril 24, 2011

do Twitter

Não há nada na vida que...

não pode ser piorado!! 
Experimente:

Deu bebum na Sexta Feira Santa

Hilário!
Na noite de terça-feira, 19/04/11, atores encenavam a Paixão de Cristo no Largo do Carmo durante a Semana Santa de São João del Rei, quando um sujeito, indignado, resolve roubar a cena e agir em defesa de Jesus Cristo. Parte do elenco teve que agir de forma discreta para impedir que o simpatizante de Jesus atrapalhasse a apresentação. - Imagem de João Paulo Guimarães para O Blog do JP.

De cumpade pra cumpade

De cumpade pra cumpade: "
A paixão segundo Seu Mateus
(Mateus: personagem-tipo do bumba-meu-boi)
Jessier Quirino

Nas cheias do pensamento
Na franja loura da aurora
Me pego monologando
Desrendando o rendado da memória
Fixe-Maria era uma glória
O cinemascope de nós dois
E me pergunto: – Issé paixão?
E me respondo: – Ônxe e apois!
Eu com vocezinha no colo
Só mimosando o viver
Falando palavra mole
Palavrinha confeitada
Com a alma avarandada
Dobradinha por você
E uma luona bojuda
Fez do teu mar calmaria
Vi tuas ondas tão calmas…
Tão calmas, que calma, rias
E ninguém bumbou meus bois
Mode aqui não barulhar
Eu Mateus em mares teus
Aprendendo a navegar
Ouvindo você dizer:
“Tou com saliva doendo
De tanto beijo te dar!”
Beijaréu ininterrupto
Que um fogaréu abrupto
Faz do silêncio um psiu! De cumpade
Eu neste mar imatável
Flutuador afundavel
Pedindo pra ser navio.

do blog: 
"

Por onde andará Bandeira?


Foto: Tribuna de Petrópolis - 2002 - Reportagem Rubens Silva
Vasculhando meus livros me deparei com alguns trabalhos do professor petropolitano Roberto Bandeira. Eu o conheci pessoalmente no bar da Praça da Liberdade, em Petrópolis, na virada da década de 80 para 90. Gostava de passar as horas falando de cinema junto com umas bohemias. Nunca mais o vi. Sabia que foi autor de alguns livros sobre cinema. Alguns deles consegui encontrar em sebos. Todos esgotados.
 Encontrei essa matéria da Tribuna de Petrópolis, de 2002, mostrando a dificil situação do nobre professor.


Roberto Bandeira, 68, professor de taquigrafia aposentado da Pontifícia Universidade Católica (PUC) morando na cidade há 15 anos, no bairro Floresta, grande amante do cinema, afirma que hoje vive com dificuldade por conta da solidão, além de problemas financeiros . "O professor, no Brasil, nunca é valorizado e dezenas de ex-alunos da PUC, do curso de comunicação social, atuam em diferentes empresas com destaque, entretanto eu e muitos professores que passaram em suas vidas estamos esquecidos", desabafou.


A culpa, segundo Roberto Bandeira, não é de seus alunos e sim da estrutura do País. "Somos deixados de lado e a aposentadoria é muito aquém das nossas necessidades de moradia, alimentação e medicação. Só podemos contar com a ajuda divina".
Sua paixão por cinema o tornou um dos poucos entendidos na história e na crítica de cinema. E a partir de 1956 começou a escrever livros sobre o assunto, abordando-o por diversos primas. "Meu trabalho inicial foi um estudo sucinto dos homens que fizeram o cinema italiano, em publicação independente".


No mesmo ano, Roberto Bandeira escreveu sobre a nova geração de cineastas americanos, e conseguiu expressivos elogios da crítica especializada. "Em 1962 abordei a literatura no cinema, dois anos depois, as grandes refilmagens, entre outras coisas, sempre com apoio de outras pessoas de renome do meio".


O Pequeno Dicionário Crítico do Cinema Brasileiro (1983), Mini Dicionário Crítico (1984), sem contar um livro de taquigrafia, como também um livro de contos, fazem parte das publicações de Bandeira. "Quem gosta de cinema é capaz de entender o que significa o envolvimento de um cinéfilo com uma das belas artes que encantou, encanta e vai encantar milhões de pessoas por muito tempo".


Na edição de 1990 do Pequeno Dicionário Crítico do Cinema Brasileiro, Roberto Bandeira, em seus verbetes, que na verdade tinham como finalidade avaliar atores, atrizes e diretores de maneira direta e objetiva, citava alguns de seus trabalhos do tipo:


Caçador Rosalvo - diretor de "O macabro Dr. Scivano", em 1971.


Antônio Callado - Intelectual que dispensa apresentação. No cinema não teve sorte com sua "Madona de Cedro" sendo mais feliz em "Pedro Mico".


- Essa minha maneira de me colocar diante dos artistas e diretores sempre foi elogiada, mas hoje eu sou mais um esquecido e preciso de ajuda. Minha vida é puro sofrimento e antigas lembranças são um misto de alegria e tristeza - completou.


Uma das poucas obras de registro do cinema nacional


Curiosidade: no interessante dicionário biográfico de Bandeira, ele dedicou um verbete ao cineasta Ibere Cavalcanti. Pra quem não sabe, Iberê é o pai de Pery de Canti, o organizador do Festival de Cinema de Maringá. 


CAVA.LCANTl, IBERÊ - diretor nascido no Rio de Janeiro em 1935. Permaneceu quase oito anos como locutor da BBC de Londres, depois como estudante de teatro e cinema na Europa e finalmente como diretor na Europa e Amérrica Latina ("Freedom", -La fuga", -Plakat e Samba"). Em 1967 fez um documentârio no Brasil com Sérgio Muniz. -O que Minas faz", e estreou no longa-metragem no ano seguinte com relativo sucesso em "A virgem prometda". A seguir dirige -Um sonho de vampiros· (1969), ·0 dia marcado" (1971 "A força de Xangô" e "Plakat".

Interessante dentro da ótica da época
Trabalho árduo numa época que não existia internet

Bom domingo!

Feliz Páscoa!

sábado, abril 23, 2011

Harold Lloyd



Pense em Charles Chaplin e Buster Keaton, mas não se esqueça do terceiro gênio: Harold Lloyd. Fez cerca de 200 filmes nas décadas de 10 e 20. Era um humanista como Chaplin e Jacques Tati. Sempre de óculos pretos redondos, chapéu de palha. Ele se foi há 40 anos. Estou atras do filme O Homem Mosca, um clássico da comédia mundial.


Harold Lloyd (Burchard, Nebraska, 20 de abril de 1893 - Beverly Hills, Califórnia, 8 de março de 1971).Criou um tipo cômico de grande sucesso na era do cinema mudo americano. Fez 206 filmes durante a sua carreira, a grande maioria na era do cinema mudo, sendo considerado, junto com Charles Chaplin e Buster Keaton, um dos maiores comediantes da época. Até o final dos anos 30 fez filmes com menos freqüência e no final dos anos 40 protagonizou seu último filme e se aposentou, mas no começo dos anos 60 dirigiu sem créditos um filme que era uma compilação de cenas de seus antigos filmes.
No início de sua carreira, Harold Lloyd poderia se considerado só mais uma imitação de Chaplin, mas com roupas apertadas. Com o tempo, acabou trocando o bigodinho por um chapéu de palha e um óculos tartaruga, com certa elegância; "pouco inteligente mas afortunado" poderia ser o lema do personagem. Representava o americano médio confrontado pela freneticidade da urbanização: arranha-céus, negócios, médicos charlatões. Em Safety Last, "o garoto" (como é chamado no filme) que, pelo desenrolar da trama, começa a escalar um edifício pelo lado de fora e não tem como descer, nem consegue penetrar por uma janela - precisa continuar a subir e, numa dessas, para não cair, agarra-se ao ponteiro de minutos do relógio na torre do prédio. Uma personalidade baseada na ausência de personalidade.
Seu personagem - o jovem franzino, de óculos, chapéu de palha e terno, não necessariamente tímido, mas sempre desastrado - combinava uma certa densidade psicológica, tipo Chaplin, com uma inacreditável destreza física, tipo Keaton. Só em 1919 descobriu o fator decisivo para seu personagem: os óculos. Esta foi sua originalidade: criou um personagem absolutamente comum e apagado (sempre chamado Harold - no Brasil, Haroldo), a quem aconteciam as situações mais incomuns e que o faziam, sem querer, transformar-se em um super-homem. Dos 58 minutos de For Heaven's Sake (1926), 30 são um corre-corre desenfreado, com Harold atraindo para si todos os bandidos e policiais da cidade a fim de levá-los para a sede de uma missão tipo Exército da Salvação.
Harold Lloyd representa, de certa forma um microcosmo do que a comédia manifesta: o reconhecimento da platéia no ridículo, a luta com o objeto.(Fonte Wikipédia)

Entrevista com o estagiário (excelente!)



Conheço um lugar...


Igreja Sagrado Coração de Jesus, Petrópolis, Rio de Janeiro, Brasil 

sexta-feira, abril 22, 2011

Paulo Sérgio Boarin

Remexendo na biblioteca do Bar do Bulga, encontro livros da série Nossos Poetas, editados pelo professor Paulo César dos Santos, em Petrópolis. Participei das tres edições. E junto estava Paulo Sérgio Boarin que marcou época nos anos 80 como relações públicas do Colégio São Jose. Depois ele foi empresário artístico de sucesso. Saiu  deste mundo há alguns anos. E nos deixou alguns versos...

Não tenho corpo, nem conteúdo, nem amores - sou mudo.
Me sonhei tão maior do que sou
e a confusão foi misturar o sonho do que restou
-nada combina com a vida, nada - 
é tudo!    
Paulo Sergio Boarin - 1986

E por falar de cinemas...

Clique AQUI

Noite Morta




Noite morta.
Junto ao poste de iluminação
Os sapos engolem mosquitos.

Ninguém passa na estrada.
Nem um bêbado.

No entanto há seguramente por ela uma procissão
[de sombras.
Sombras de toos os que passaram.
Os que ainda vivem e os que já morreram.

O córrego chora.
A voz da noite…

(Não desta noite, mas de outra maior.)

Manoel Bandeira - Petrópolis, 1921

Feliz Páscoa!

Sem traumas, ok? 

quinta-feira, abril 21, 2011

Porrada!

Ontem meu time apanhou duas vezes: dentro e fora do campo...

De Apucarana para o Rio de Janeiro

O Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro está promovendo, até o dia 24 (domingo), uma mostra de cinema em homenagem ao cineasta independente, ator e produtor apucarense Semi Salomão. O conjunto de sua obra surpreende pela experiência que demonstra, apesar da pouca idade e por seu excesso de criatividade. Com pouquíssimo orçamento (um de seus filmes, A Bruxa do Cemitério foi realizado com cerca de R$ 1 mil ), utilizando cenários e atores locais e também não atores, já realizou sete longas. Com uma verve mais voltada a filmes de terror, produz também filmes de trama policialesca e de espionagem, comédias e até filme exotérico como é o ultimo trabalho dele, "Mestre Salomão". Os filmes serão exibidos no Cinema II do CCBB RJ (Rua Primeiro de Março, 66 - Centro). Ingressos a R$ 10. Mais informações: (21) 38082020.
Abaixo, o VT da RIC Record Maringá.  Reportagem Michele Thomaz.

Nota: conheço Salomão de longa data e já produzi um VT com ele para a RIC Record. No final do ano passado ele me procurou na RPC . Deixou comigo um poster de Mestre Salomão,  o ultimo trabalho dele. No poster, ele se parece com um monge exotérico. Coloquei o poster na geladeira de casa. Minha sogra está assustada. Acho que estamos venerando Salomão. Eu me divirto...



Godspell


Tem gente que jura ter se apaixonado pelo filme apesar de ter assistido uma só vez na vida, quando criança. A única cópia que andava pelas emissoras de tevê acabou se deteriorando. Além disso, o filme jamais esteve nas locadoras de vídeo do país. Até a edição em DVD está esgotada.
Tudo isso aumenta a áurea cult de Godspell A Esperança um musical de 1973 baseado na peça teatral homônima. Ao contrário de outras óperas-rock do período como Tommy e Jesus Cristo Superstar, Godspell jamais envelheceu.
O espírito hippie deixou o musical com alto astral. As músicas são belíssimas, incluindo o clássico Day by Day de Stephen Scharts (editado pelo Bar do Bulga com quase 700 mil acessos no Youtube).
Godspell faz uma interpretação do evangelho. Pra começar, Jesus (Victor Garber) surge com uma camisa do Superman.
João Batista (David Haskell) monta uma banda com jovens discípulos para seguir e divulgar os ensinamentos de Jesus. É uma trupe teatral que apresenta parábolas pelas ruas e pontos turísticos de Nova York no início da década de 70.
Godspell foi indicado a Palma de Ouro no Festival de Cannes em 73. Depois, percorreu o mundo. Porém, muitos saudosistas só conseguiram ver o filme em suas remotas exibições pelas tevês Globo, Manchete e Cultura. Na versão para o teatro, Godspell se passe dentro de um circo.

A trilha sonora foi lançada no Brasil em vinil. Nunca encontrei em CD. Na internet, há discos importados com a trilha da peça teatral, com arranjos muito parecidos. Tenho o DVD e a trilha (baixada da internet).

Day by day, 
Oh Dear Lord,
Three things I pray
To see thee more clearly
Love thee more dearly
Follow thee more nearly
Day by day


CBN



Primeira equipe da CBN Maringá - 1998
Ana Paula Machado Velho,  Marcelo Bulgarelli, Marluce Gomes, Elci Nakamura.
Na fila detrás: Valdete da Graça, Oswaldo Sigles (que acaba de retornar ao jornalismo) e Marco Aurélio (responsável pelo nosso primeiro treinamento). Na última fila, Vanda Ferreira (por onde anda?) e Simone Labegalini.

Conheço um lugar...

Mansão Tavares Guerra, Petrópolis, Rio de Janeiro, Brasil